Guarany FC
Guarany
(Bagé)
03 Títulos
Sport Club Rio Grande
Rio Grande

(Rio Grande)
01 Título
Cachoeira FC
Cachoeira
(Cachoeira do Sul)
01 Título
RS Futebol Clube
RS
(Alvorada)
01 Título
SC Internacional
Internacional
(Porto Alegre)
01 Títulos
Associação Esportiva São Borja
A.E. São Borja
(São Borja)
01 Títulos
Ano Campeão Vice
2020 cancelado --
2019 Guarany FC (Bagé) SERC Brasil (Farroupilha)
2018 A.E. São Borja (São Borja) G.A. Farroupilha (Pelotas)
2017 (1) SC Internacional "B" (Porto Alegre) GE Bagé (Bagé)
2016 Guarany FC (Bagé) SC Gaúcho (Passo Fundo)
2015 FC Marau (Marau) Guarany FC (Bagé)
2014 SC Rio Grande (Rio Grande) EC Guarani (Venâncio Aires)
2013 Tupy FC (Crissiumal) Ass. Nova Prata ECL (Nova Prata)
2012 CE Aimoré (São Leopoldo) SC Gaúcho (Passo Fundo)
2004 a 2011 não disputado -
2003 Lami (Porto Alegre) Riograndense (Santa Maria)
2002 RS Futebol Clube Sapiranga
2001 Cachoeira Farroupilha
2000 Gaúcho Grêmio Santanense
1999 (2) Guarany (Bagé) Canoas
1986 a 1998 (2) não disputado -
1985 Guarany (Cruz Alta) Rio Grande
1982 a 1984 (3) não disputado  
1981 (4) Rosário Pradense
1980 Igrejinha GEPO
1977 Rosário Rio Grande
1969 Três Passos Tupi
1968 Igrejinha Elite
1967 Grêmio Santanense Tabajara Guaíba

Dados retirados do site oficial da Federação Gaúcha de Futebol e do livro “História da divisão de acesso no futebol gaúcho: 1952-2019”, de José Luiz Tavares Maciel e Julio Bovi Diogo.
Notas:
(1) Em 2017 o tradicional Sport Club Internacional foi campeão com sua equipe B. Neste mesmo ano o Grêmio disputou a competição, também, com sua equipe B.
(2) De 1995 a 1999, a primeira divisão foi disputada em dois módulos, chamados de Série A e B, sendo que os melhores da B se classificavam para as finais da A, no mesmo ano. Já a segunda divisão classificava para a Série B do ano seguinte. Por isso, há quem considere a Série B uma segunda divisão de fato, embutida na primeira. Por esse critério, os campeões da segunda divisão nominal desses anos (Santo Ângelo, Novo Hamburgo, São José, Torrense e Esportivo, respectivamente) seriam, na realidade, campeões da terceira divisão de fato. E, em 1999, o Guarany de Bagé, campeão da terceira divisão nominal, seria na verdade campeão da quarta divisão de fato. No entanto, isso não é considerado pela FGF nem pelos clubes envolvidos.
(3) Em 1982 e 1983, a segunda divisão foi disputada em dois módulos, chamados de Grupo A e B, sendo que os melhores do B se classificavam para as finais do A e os piores do A se classificavam para as finais do B. Ao final, o campeão e o vice do Grupo A ganhavam vaga na primeira divisão do ano seguinte, enquanto os melhores colocados do Grupo B ganhavam vaga no Grupo A do ano seguinte. Pelo mesmo raciocínio da nota acima, o campeão do Grupo B de 1982 (Alegrete) e os quatro melhores do Grupo B de 1983 (Lajeadense, Avenida, Rio Grande e Rosário, que não fizeram um cruzamento final) deveriam ser considerados campeões da terceira divisão de 1982 e 1983. No entanto, isso não é considerado pela FGF nem pelos clubes envolvidos.
(4) Algumas fontes informam que o campeão e o vice de 1981 seriam Pradense e Mundo Novo, respectivamente. Contudo, segundo o livro “História da divisão de acesso no futebol gaúcho: 1952-2019”, como o Mundo Novo perdeu para o Rosário o ponto do empate de 11.10.1981, o campeão do quadrangular final foi o Rosário. E a partida final, de 27.03.1982, Pradense 2x0 Mundo Novo, apenas definiu o vice-campeão.

Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva e Laércio Becker.
Fontes: Federação Gaucha de Futebol; Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br; e “História da divisão de acesso no futebol gaúcho: 1952-2019”, de José Luiz Tavares Maciel e Julio Bovi Diogo.
Página adicionada em Setembro/2006; atualizada em 27/Agosto/2021.