Federação Gaúcha de Futebol HISTÓRIA DO FUTEBOL GAÚCHO - PARTE 4

( A Profissionalização - Sel. Gaúcha Representando o Brasil no Pan-Americano )

Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5 Campeões + FUT-GAÚCHO

       

A profissionalização do futebol no estado

Em 1933 começou nos estados de São Paulo e no Rio de Janeiro. No Rio Grande do Sul, o futebol profissional, efetivamente, começou no início da década de 40.

Em 1927, houve a primeira experiência de profissionalização realizada, sem sucesso, pelo Fuss Ball Club Porto Alegre que formou um time profissional, contratando jogadores como o consagrado goleiro Lara, mas a experiência não deu certo. O time, porém, chegou a jogar algumas partidas, em 1927, com Lara; Cazuza e Adroaldo; Cauduro, Delavaux e De Lorenzi (Andrade); Marroni, Mingo, Humberto Cabelli, Alberto e Nenê. A tentativa não deu certo e Lara, arrependido, retornou ao Grêmio, junto com Nenê.

Nos anos de 1937, 1938 e 1939, os principais clubes de Porto Alegre fundaram a Amgea Especializada e realizaram os primeiros campeonatos profissionais da cidade. Com a dissidência, Grêmio, Inter, Cruzeiro, São José e Força e Luz disputaram o campeonato “especializado” e ficaram fora da disputa do Estadual.

Futebol Gaúcho representa Seleção Brasileira e conquista o Pan-Americano

A história do futebol gaúcho está repleta de grandes feitos e, sem dúvida, a conquista do Pan-Americano do México, em 1956, é uma das páginas mais gloriosas do nosso futebol.

O campeonato Pan-Americano de futebol começou a ser disputado em 1952, com vitória brasileiro, no Chile. Na Segunda edição, quatro anos depois, a Confederação Brasileira de Desporto (hoje, CBF) decidiu convidar a Federação Rio-Grandense de Futebol para montar uma equipe somente com jogadores que estivessem atuando no Estado para representar o Brasil no campeonato no México.

A primeira intenção da CBD era montar uma seleção com gaúchos, paranaenses, mineiros e pernambucanos. Era uma jogada política da entidade máxima do futebol nacional, para satisfazer os dirigentes das entidades e dos clubes de quatro Estados que já apresentavam uma grande evolução no futebol, mas ainda estavam abaixo dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo nas preferências para as formações das seleções nacionais.

Os principais clubes do país, na época, estavam todos centralizados em Rio e São Paulo e não desejavam liberar seus craques para as disputas do Sul-Americano e do Pan-Americano. Assim, foram formadas duas seleções, uma para cada competição.

A idéia da CBD, porém, foi rechaçada pelo presidente da Federação Rio-Grandense, Aneron Corrêa de Oliveira, que desejava uma seleção só de gaúchos. Aneron insistiu e a sua idéia prevaleceu.

Com a idéia aceita e oficializada, a Federação Rio-Grandense de Futebol começou a organizar a Seleção. A primeira ação foi a convocação do técnico Francisco Duarte Júnior, o pelotense Teté.

Teté convocou, inicialmente, 40 jogadores. A lista final, porém, foi formada por 22 atletas: Do Grêmio foram chamados o goleiro Sérgio, os laterais Figueiró e Ortunho, os zagueiros Aírton e Ênio Rodrigues, os meias Sarará e Milton Kuelle e os atacantes Hercílio e Tuarez Teixeira. Do Inter foram chamados 8 jogadores, sendo sete titulares da Seleção: Florindo, Oréco, Odorico, Jerônimo, Luizinho, Chinesinho, Bodinho e Larry.

O elenco ainda tinha o goleiro Valdir de Morais e o meia Ênio Andrade, do Renner, o goleiro Paulinho e o ponteiro-esquerdo Raul Klein, do Floriano e o lateral esquerdo Duarte, do Brasil de Pelotas, que seria o capitão da equipe no Pan-Americano.

Os jogos, na Cidade do México, foram realizados no estádio Universitário, entre 1° e 18 de março.

Na estréia, o Brasil venceu o Chile por 2 a 1, gols de Luizinho e Raul Klein. Depois, 1 a 0 sobre o Peru, no dia 6, com gol de Larry Pinto de Faria. No dia 8, fez 2 a 0 no México, com dois gols de Bodinho. Na terceira apresentação, a gauchada deu show e goleou a Costa Rica por 7 a 1, com gols de Chinesinho (3), Larry (3) e Bodinho.

Na final, dia 18, o empate servia e ocorreu: 2 a 2 com a Argentina. Ênio Andrade e Chinesinho fizeram os gols do Brasil. O time campeão: Sérgio Moacir Torres Nunes (Valdir de Morais); Florindo e Duarte; Oreco, Odorico e Ênio Rodrigues; Luizinho, Bodinho, Larry, Ênio Andrade e Raul Klein (Chinesinho).

Página anterior ANTERIOR (PARTE 3) INÍCIO DA HISTÓRIA PRÓXIMO (PARTE 5)  Próxima página

Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva
Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br
Página adicionada em Março/2009.

 

Shopping Campeões do Futebol