AceOdds últimos códigos promocionais de apostas

História - Da Fundação ao Profissionalismo
Em 1915 surge em Mococa dois clubes de futebol: O Operário Futebol Clube e o Mocoquense Futebol Clube. A falta de um grande Estádio prejudicava o crescimento desses dois clubes. Surgiu então a idéia de unir essas duas equipes e formar apenas um clube.

No dia 1° de maio de 1919 foi realizada no Teatro municipal uma reunião com o objetivo de fundar em Mococa uma equipe de ampla representatividade no futebol brasileiro. Estavam presentes nomes como os de Jayme Rehder, João Bruno Biazin, Ricardo Mônaco, Antonio Azaloni, Gabriel Ribeiro da Silva, Waldomiro Lopes, Pascoal Luiz Gagliardi, Antonio Amadi, Franscisco Pedro, entre outros. O apoio da torcida era muito grande, e seu entusiasmo animava os dirigentes.

O único problema registrado foi na hora de escolher o nome da nova agremiação esportiva.

Foram apontados nomes como Palestra, São Paulo, Paulistano, Corinthians, São Bento, entre outros, porém, nenhum conseguiu a aprovação da maioria, o que quase acabou com o sonho dos mocoquenses. Muitos dos presentes já deixavam o teatro, quando um dos esportistas, apresentou a sugestão salvadora: Pedro Daniel sugeriu o nome Radium, em homenagem à cientista Madame Curie, que havia descoberto um novo elemento químico que batizara de Radium.

Os que estavam saindo voltaram, foi aceito o nome de Radium Futebol Clube, houve uma grande comemoração. No mesmo instante foi escolhida a Primeira Diretoria do novo clube, formada por Presidente: Pascoal Luiz Gagliardi; Vice-Presidente: Gabriel Ribeiro da Silva; Secretário: Waldomiro Lopes; o qual era chefe da estação Mogiana, em Mococa, e que acabou se mudando para São Sebastião do Paraíso, deixando o cargo com Jayme Rehder. O sucesso da reunião tinha sido alcançado, Mococa tinha um novo clube de futebol.

Desde sua fundação, o Radium utiliza o mesmo escudo e as mesmas cores, o verde e branco. Por causa delas e da Estrada de Ferro Mogiana, que passava pela cidade, o clube acabou ganhando o apelido de o “Verdão da Mogiana”. O distintivo é a marca registrada do clube, sendo formado simplesmente por um círculo verde de contorno branco, com a letra “R” estampada também em branco no centro.

Não se sabe ao certo o porquê da escolha das cores, mas o mais provável é que seja em homenagem à vegetação de Mococa, conhecida como a “Cidade das Palmeiras Imperiais”.

O primeiro jogo treino do Radium, foi realizado no dia 21 de Setembro de 1919, com um empate em 0X0 contra a Associação de Guaranésia.

Em busca do profissionalismo na década de 40
Durante 30 anos o Radium se dedicou a disputa apenas de campeonatos amadores, ganhando diversos títulos, sendo assim a torcida começou a cobrar o profissionalismo da diretoria. Em 1949 com a criação da Lei de Acesso, o Radium disputou a Segunda divisão Profissional do Futebol Paulista. O clube, carinhosamente chamado de "Verdão da Mogiana" estreou no Campeonato Paulista de 1949 no dia 22 de maio, perdendo para o Palmeiras Futebol Clube por 1 a 0 na cidade de Franca.

O elenco de 1949 contava com: Brazão, Sidney, Jorge, Baía, Aguinaldo, Reinaldo, Brejinho, Armando, Bagunça, James e Ary. Além de Ié ( goleiro), Laércio, Jeca e Wilfredo.
A Diretoria era composta por: Presidente, Christovam Lima Guedes; Vice-presidente, Otávio Pereira Lima; Tesoureiro, Antonio Molo Sobrinho; Primeiro-secretário, André Masili; Segundo-secretário, Edgard de Freitas; Segundo-tesoureiro, João Elpidio; Diretores Esportivos, Guilherme Brisighelo e Orosimbo Bernardes.

Dos anos 50 aos anos 80
Campeão da Segunda Divisão: No dia dezoito de maio de 1950, com 31 anos, o Radium estreou no campeonato Paulista, jogando pelo grupo 4, da competição. O Verdão começou muito bem, vencendo o Sanjoense de S. João da Boa Vista por 2 a 0, gols de Brejinho e Bagunça.

Após uma excelente campanha o Radium sagrou-se campeão de seu grupo, vencendo a Ponte Preta de Campinas por 2 a 0 com gols de Ary e Ermelino.

Surgiu então um certo Torneio Campeão dos Campeões, dividido em dois grupos de cinco times, onde os times se enfrentavam em jogos de ida e volta e os campeões de cada grupo disputavam numa melhor de três, a vaga para a primeira divisão do futebol paulista.

O Radium ficou no grupo 1 ao lado de Francana, XV de Jaú, São Bento de Marília e Ferroviária de Botucatu.

O Verdão perdeu os dois jogos contra a Francana, mas venceu todos os outros, sendo campeão do grupo 1, e ganhando o direito de disputar a final contra o Botafogo de Ribeirão Preto.

O Primeiro jogo da final foi em Mococa, onde o Botafogo conseguiu um empate em 1 a 1, Amado marcou para o Radium.

No segundo jogo em Ribeirão Preto o Verdão precisava vencer para ser campeão, ou empatar para disputar uma terceira partida. O jogo foi disputado, cheio de bons lances, até que no último minuto de jogo o Radium cometeu um pênalti.

A torcida gelou, parecia que o sonho da 1ª divisão terminava alí. Foi então que surgiu um novo herói, o goleiro Brazão conseguiu defender e garantir o empate em 0 a 0. Era delírio total.

O terceiro jogo foi marcado para ser disputado em São Paulo. O Resultado não foi diferente mais um empate.

Após um empate de 1 x 1 no jogo, e que permaneceu durante toda a prorrogação, foi marcado um quarto jogo decisivo.

O jogo foi marcado para o dia 11 de maio de 1951. O Radium terminou o primeiro tempo perdendo por 1 x 0, No segundo tempo, Silas empatou e quase no fim do jogo, James marcou o gol que deu ao Radium o título mais importante de sua história até então.

O Verdão da Mogiana era o campeão da Segunda Divisão do Futebol Paulista.

CAMPEONATO PAULISTA DE 1951 - O VERDÃO NA 1ª DIVISÃO
O Campeonato Paulista de 1951, foi disputado por São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Santos, Portuguesa de Desportos, Portuguesa Santista, Ponte Preta, Guarani, Comercial da Capital, Nacional, XV de Novembro de Piracicaba, Juventus, Jabaquara, Ypiranga e Radium. O campeonato era disputado no sistema um contra todos em turno e returno, aquele que obtivesse maior pontuação seria o campeão. O Verdão não conseguiu um grande feito sobre nenhum dos quatro grandes da capital, e além do mais teve de vender um mando de jogo ao Corinthians por problemas financeiros. Depois de uma campanha rasoável, o Radium terminou o campeonato na sétima colocação, a melhor entre os times do interior. Na mesma época o Radium começava a construção do Estádio São Sebastião.

TIMES BASE DE 1952 a 1955
Radium - 1952 (1ª Divisão) Cajú, Aguinaldo, Jorge, Olegário, Carlito, Baía, Gomes, Stacis, Reis, Bagunça, Alípio, Ávila, Silas, Carrega, James, Nego, Mamão, Ary e Tati.

Radium - 1954 (2ª Divisão) Brazão, Flávio, Hamilton, Tomaz, Jorge, Nego, Adão, Aguinaldo, Zé Roque, Bagunça, Rui, Carrega, Vicente e Alípio.

Radium - 1955 (2ª Divisão) Flávio, Brazão, Tomaz, Jorge, Baía, Hamilton, Aguinaldo, Luizão, Vicente, Roque, Osvaldo, Nego e Ditinho.

De 1956 à 1976 (20 anos), o Radium F.C. ficou afastado do Campeonato Profissional, período em que foi construído o novo Estádio, que levaria o nome de "Estádio Olímpico de São Sebastião".

O ANO DE 1977 - A VOLTA
Inconformados com a queda do Radium, alguns dirigentes decidiram colocar o time novamente em atividade. Sob o comando do Sr. Dito Faustino, Victor Miguel Garofalo e do Dr. João Rotta, surgiu a idéia de trazer o Radium novamente aos gramados.

Algumas contratações foram feitas: O técnico Wilson Santos, ex América e com passagem na Seleção, o goleiro Juarez, Vassil e Edson Trombada, ex Flamengo e Bangú. De volta a ativa, o Verdão realizou diversos amistosos, entre eles o empate 1 x 1 contra o Velo Clube de Rio Claro, jogo este que se destacou devido ao enorme público que compareceu ao estádio São Sebastião em Mococa.

A nova equipe era formada basicamente por Juarez, Cridão, Baiano, Botão e Hildo, Paulo César e Vassil, Luizinho e Guto, Adeilton, Edson Trombada e Niltinho.

O Radium voltou na Segunda Divisão (atual Série A3) do Paulista de 1977, devido a ajuda de José Ferreira Pinto, um dos diretores da Federação Paulista que gostava muito da cidade de Mococa.

O primeiro jogo do novo Radium foi realizado em Mococa, o adversário era o Amparo Atlético Clube, e o jogo ficou no 0x0. O Radium atuou com: Paschoal, Ademir, Tião Hélio, Wilson e Hildo, Paulo César e Álvaro, Adeilton (Bem e Cridão), Antônio Carlos, Prado e Nilton.

Anos 80 ao momento atual
INVESTINDO NOS JUNIORES
No final da década de 70, o Radium resolveu investir nas categorias de base. O diretor do departamento amador, João Batista Rotta, montou uma excelente equipe, que depois de dois anos de preparação começou a apresentar resultados.

Em 1980,os juniores foram campeões invictos do Grupo Sul, e vice-campeões Estaduais da 2ª divisão. O elenco radiunico era formado por: Carlos, João, Marcelo, Gilberto, José Luis, Paulinho, Tadeu, Dirceu, Darci, Adauto, Pimenta, Aluisio, Arnaldo, Mim, Neto, Belini, Noel, Silvio e Antônio Carlos. O Técnico era o Argemiro que depois foi substituído por Toninho Ferreira. Completava o grupo, o preparador físico Bolinha.

O goleiro Carlos, os jogadores Alemão, Adauto e Marcelo foram convocados para defender a Seleção Paulista, devido ao excelente desempenho no campeonato.

O PERIODO 1980 a 1993
Despois que retornou em 1977, voltando na atual Série A3, a equipe permaneceu neste nível até 1979, quando ao lado do Amparo e do Lemense conseguiu o acesso à Segunda Divisão (A2) de 1980. Ainda neste ano, o clube realizou o primeiro amistoso internacional da história contra a Seleção da Arábia Saudita. O resultado foi 4 a 1 para o time brasileiro.

Em 1988, o clube de Mococa foi rebaixado e disputou por dois anos o Campeonato Paulista da Segunda Divisão (equivalente a atual Série A3), quando em 1990 novamente obteve o direito de subir uma divisão e chegar à Divisão Intermediária (A2) em 1991. O Radium participou desta competição por quatro temporadas.

O ACESSO DE 1990
A competição de 1990 era chamada de Segunda Divisão (atual Série A3), e dela participaram 33 clubes, que dava direito ao acesso de seis equipes. O Radium que ficou na 3ª colocação, garantiu acesso juntamente com o Jaboticabal, União Barbarense, Barretos, Jalesense e Matonense. O elenco na conquista era formado por Carlos, Deco, Mutulovick, Flavinho, Adilson, Geraldo, Itamar, Antônio Carlos, Aloísio, Geada, Nilton I, Lela, Adaílton, Edson, Luiz Carlos, Gersinho ,Da Silva, Adriano, Dâmi, James, Bolinha, Sabará, Canarinho, Vanderson, Lô, Reinaldo, Gilson, Pocaia, Eusébio, Nelson Beleza e Netinho. Treinadores: Paulo Damico, Zé Roberto, José Eduardo e o interino Luiz Carlos Pessina.

O PERIODO 1994 a ATUALIDADE
Em 1994, disputou o Campeonato Paulista B1A, equivalente à quarta divisão do futebol estadual, e continuou nesta competição até 1996. Nas temporadas de 1997 e 1998 esteve ausente do profissionalismo e, no ano seguinte, em 1999, disputou a Série B1B.

Do ano 2000 até 2003, o Radium participou do Campeonato Paulista da Série B2 (quinta divisão) e neste meio tempo, entre 2001 e 2003, esteve presente em três edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior, sendo eliminado na primeira fase de todas. Em 2005, passou a competir na recém-criada Segunda Divisão (na verdade quarta divisão), onde permanece até 2013.

Em 2014 o clube decidiu encerrar por tempo indeterminado suas atividades profissionais.

ESTÁDIOS
Estádio da Vila Mariana (Caixa D'agua)
Primeiro estádio do Radium de Mococa, o Vila MarianaDepois de sua Fundação, o Radium precisava de um Estádio (foto ao lado) para realizar seus jogos e treinamentos. O local escolhido ficava situado no bairro da Vila Mariana, onde encontra-se hoje a sede da Sabesp de Mococa.

Conquistado o título da Segunda Divisão, o Radium se viu forçado, por exigência da FPF, a reformar o Estádio. Com essas reformas o estádio passaria a comportar no mínimo 12.000 pessoas. Ganhou vestiários, túneis e sanitários.

Com as reformas realizadas em tempo recorde (2 meses), o novo Estádio da Vila Mariana foi entregue em 24 de maio de 1951, quatro dias antes do início do Campeonato.

Nesse período já se iniciavam as obras do novo Estádio, em um terreno doado pelo Sr. Chico Piscina.

Estádio Olimpico São Sebastião
Estádio Olimpico São Sebastião do Radium de MococaO Estádio São Sebastião recebe esse nome em homenagem ao patrono da Cidade de Mococa.
Construído na década de 50, em um terreno doado pelo inesquecível Sr. Chico Piscina, o Olimpico, como é chamado, abriga cerca de 8.900 torcedores. Seu gramado com dimensões de 117m x 70,5m, ainda não recebeu os grandes clubes do Futebol brasileiro em jogos oficiais, pois a única vez que o Verdão disputou a série principal do Paulistão, os jogos eram realizados no Estádio Caixa d'Água, na Vila Mariana, onde se encontra hoje a sede da Sabesp.

O Estádio Olimpico de São Sebastião fica situado á Praça Pacífico Costa Lima, s/nº, na Vila Quintino.

Equipe responsável pela construção do Estádio foram: Dr. Luis Antônio Fernandes Dias; Benedito Loureiro; Sidnei dos Santos; Roque Prícoli; Batista Scarparo; Siguifrido Jardim e Prof. Jorge Castro Ribeiro

Mascote / Camisa
Mascote do Radium FC Mascote do Radium FC em 1950 Camisa 2012 do Radium FC
Periquito da Mogiana (desenho atual). Em 1950, o "periquito" no trono simbolizou a conquista do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de Profissionais. Camisa utilizada em 2012.

Fontes: www.radiumfc.com.br, www.futebolpaulista.com.br e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva.
Página adicionada em 18/Março/2013 - atualizada em 12/Janeiro/2021.