Em 1955 o atual estado de Roraima era chamado de Território Federal do Rio Branco, tendo como capital Boa Vista. Neste ano o Madureira (RJ) fêz uma pequena excursão pela região norte do Brasil, passando pelo Território, onde disputou duas partidas. Abaixo transcrição da matéria do periódico O Átomo, para a segunda partida contra a Seleção da Federação Riobranquense de Desportos, disputada no dia 5 de maio.

O Átomo, Boa Vista, Terça-feira 10-05-1955 ( Mantemos a grafia da época)

Seleção da FRD 0 x 4 Madureira

Despedindo-se do publico Riobranquense, o Madureira do Rio de Janeiro, sob os auspicios da Federação Riobranquense de Desportes, realizaou uma curta temporada entre nós, e abateu quinta-feira ultima a seleção da FRD pela contagem de 4 tentos a 0.

Grande massa popular compareceu quinta-feira ao Estádio "João Mineiro" para assistir a segunda exibição do Clube Carioca. Os visitantes que em sua estréia, num embate verdadeiramente sensacional derrotaram o Baré por 3 a 2, teriam como adversário a seleção da FRD, integrado pelos melhores valores do nosso "association".

Iniciado o prélio, notou-se muita disposição do onze local, que embora jogando contra um adversário técnicamente superior, procuravam os rapazes com entusiasmo, suprimir as falhas técnicas do conjunto, ganhando o cotejo e desta forma uma boa movimentação, chegando os litigantes a oferecer ao grande público presente, um bom espetáculo de futebol, terminando a faze inicial com a vitória dos cariocas por 1 tento a o, goal assinalado por Machado.

Na etapa derradeira, os cariocas fazendo uma grande exibição, aumentaram a vantagem no marcador para 4 a 0, impondo ao onze local uma derrota contundente, demonstrando assim, a sua superioridade durante os 45 minutos finais. Já os nossos rapazes, sentindo a falta de preparo físico, não ofereceram a mesma resistência da fze inicial, embora continuassem lutando para evitar um revez maior. Desta forma o clube dirigido pelo veterano Plácido manteve sua invencibilidade em 7 jogos; 5 em gramas do amazonas e dois em nossa capital.

A nota destoante do embate, foi sem dúvida, a constante troca de "ponta-pés" entre os contendores, que culminou com as cenas lamentáveis que assistimos no final do prélio, quando alguns jogadores com animos exaltados engalfinharam-se em luta corporal, oferecendo ao grande publico que sempre soube prestigiar o nosso futebol - um triste espetaculo. Grande culpa, cabe não restam dúvidas ao mediador da partida Sr. Jaime Braga, da Federação Metropolitana de Futebol, que acompanhava a delegação; que durante o transcurso da partida fez vista grossa aos "ponta-pés", não procurando em momento algum, reprimir o jôgo violento posto em prática por certos elementos, quer do Madureira quer da Seleção.

DETALHES DO ENCONTRO

Jôgo: Madureira do Rio X Seleção da FRD; Local: Estádio "João Mineiro"; 1° tempo: Madureira 1 X Seleção 0; Goal de Machado; Final Madureira 4 X Seleção 0 - Tentos de Machado 2 e Apel.

Quadros: Madureira: Danton; Jorge (Mario) e Darcy; Nilo (Apel), Bitum e Moacyr; 91, Zezinho, Machado, Tião e Deraldo (Oswaldo).

Seleção: Guilherme; Bonates (Sabá Pinheiro), Mão de Remo e Ribeiro; Chico Santos e Sabá Pinheiro (Toscano); Wanderley (Bebeto), Piranha (Dermário), Caveira (Salomão), Chico e Canhotinho (Sabarreto).

Juiz: Jaime Braga da Federação Metropolitana de Futebol, com fraca atuação.
Renda: Cr$ 23.235,00 aproximadamente.
Anormalidades: Moacyr do Madureira e Bebeto da Seleção foram expulsos de campo por jogo violento.


Por Sidney Barbosa da Silva.
Fonte: O Átomo, de 10 de maio de 1955; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 19/Setembro/2020.

 

Mais para você...

Livros Digitais Campeões do Futebol