O Território Federal do Guaporé (atual Rondônia) foi criado em 01.10.1943, pelo Decreto-lei 5.812, de 13.09.1943, por desmembramento dos Estados do Amazonas e do Mato Grosso. Poucos meses antes, em 10.07.1943, foi fundado o Ferroviário AC, quando Porto Velho ainda era território amazonense. Logo em seguida, em 29.10.1944, foi fundada a Federação de Desportos do Guaporé (atual Federação de Futebol do Estado de Rondônia) por iniciativa do jornalista Ocian da Silveira Pinto e, em 1945, foi disputado o primeiro campeonato. Veja » Clubes campeões por mais de um estado.

Amadorismo
Desde sua fundação em 29 de Outubro de 1944, a Federação administrou o futebol amador até 1990. Nas décadas de 40, 50 e 60 os campeonatos foram disputados no Estádio Paulo Saldanha, localizado na Avenida Pinheiro Machado, de propriedade do Ypiranga Esporte Clube.

O primeiro campeonato realizado recebeu o nome de campeonato relâmpago e foi disputado no período de 02/09/1945 a 14/10/1945, teve a participação dos clubes, Internacional, Ypiranga e Ferroviário Atlético Clube, que foram os únicos a reunir condição para a disputa, o primeiro jogo conforme sorteio foi entre as equipes do Nacional e do Ypiranga, esta partida teve a arbitragem do Sr. Francisco Ferreira Oliveira, auxiliado por Manoel Januário Jesus e Esron Penha de Menezes, sendo que o representante da FDG, foi o Sr. Emílio Tobias Gassibi.

O campeão do torneio inicio deste campeonato relâmpago foi o Ferroviário mas no entanto o primeiro campeão da FDG foi o Ypiranga Esporte Clube que levou a melhor, durante todo o campeonato.

Na era do futebol amador, foram disputados 46 campeonatos oficiais, o Ferroviário Atlético Clube, foi o maior vencedor com 18 títulos conquistados, Moto Clube com 10 títulos, Flamengo com 8 títulos, Ypiranga com 6 títulos, São Domingos 2 títulos, Botafogo 1 título, Mixto Esporte Clube 1 título.

Nas décadas de 40, 50 e 60 também era comum a realização de torneios de futebol, para se comemorar datas históricas como: 7 de Setembro, 1º de Maio e datas do aniversário do município e do território, esses torneios organizados pela FDG, aconteciam sempre com a parceria dos governos municipal e territorial, ou seja, poder público já naquela época tinha na FDG um grande parceiro. Também era comum o intercambio entre o futebol da Bolívia, com clubes de futebol do nosso território atuando no país vizinho, principalmente nas datas importantes.

Em 1975 por iniciativa do então presidente da FDG jornalista Vinícios Danin foi criado o torneio de integração da Amazônia mais conhecido como Copão da Amazônia, competição esta que envolvia os campeões das Federações amadoras do país como Rondônia, Acre, Amapá e Roraima.

Transição do Amadorismo para o Profissionalismo
Até o ano de 1990 os campeonatos eram amadores e durante este período, a Federação só deixou de realizar o campeonato de 1988, quando todos os filiados pediram licença.

Carlos Henrique Alves - o interventorEstabelecido a crise, a CBF decretou a intervenção na FFER em 28 de fevereiro de 1989. O vice presidente da CBF, Sr. Alfredo Alberto Nunes Leal, no exercício da presidência, nomeou para o cargo o interventor, o Sr. Carlos Henrique Alves que foi orientado para que no prazo de 60 dias, reestruturasse a entidade, promovendo a realização das eleições.

Heitor da Costa Júnior - o primeiro presidenteNo dia 20 de abril de 1989, no prédio da Câmara Municipal de Porto velho, realizou-se o pleito que elegeu para presidente da entidade, o Deputado Estadual e Odontólogo, o Dr. Heitor Luiz da Costa Junior que cumpriu tudo o que prometera no seu discurso de posse. Realizou o campeonato em 1989, fez o último estadual amador em 1990, e a FFER, que até então, funcionava precariamente nas dependências do estádio Aluizio Ferreira, teve sua sede própria inaugurada em 05 de agosto de 1990, ocasião, em que estiveram presentes inúmeras autoridades locais, a diretoria da CBF e o seu presidente Sr. Ricardo Terra Teixeira.

A Sede PrópriaO profissionalismo tão esperado enfim chegou. Em 18 de agosto de 1991, teve início o primeiro campeonato rondoniense de futebol profissional (dez anos após Rondônia ter deixado de ser Território para virar estado), que contou com a participação de nove equipes. Com as dependências do estádio Aluizão lotadas, os times do Ferroviário Atlético Clube e do Ji-Paraná fizeram a grande final, onde este último venceu pelo placar de 3 a 2, deixando para sempre o seu nome na história como o primeiro campeão rondoniense da era profissional. Fortalecia-se o futebol no interior do estado.

Antiga SedeO campeonato de 1992 foi muito importante, pois em âmbito nacional, o estado de Rondônia participou de três competições promovidas pela CBF: o campeonato brasileiro Serie B, pois não havia ainda a Série C, Copa do Brasil, e o campeonato brasileiro juvenil.

O campeonato estadual da primeira divisão tem um brilho todo especial, pois oportuniza aos clubes disputar a Copa do Brasil e o campeonato brasileiro Série D, podendo-se chegar as categorias A, B e C, e até mesmo almejar competições como a sulamericana e a libertadores da América.

O Campeonato Rondoniense de Futebol profissional da segunda divisão, sem nenhuma dúvida traz ao calendário esportivo muita vibração, em virtude do sobe e desce das equipes, valorizando por demais as competições e os que delas participam.

Hoje o calendário do futebol rondoniense vai de janeiro a janeiro com competições de alto nível gerando centenas de empregos diretos e indiretos que abrangem desde os atletas profissionais e amadores em seus clubes de origem, até a imprensa falada, escrita e televisada.

Em termos de torcida e rivalidade, seu apogeu ocorreu no final da década de 70 e início de 80, época em que era disputado o extinto Copão da Amazônia, onde estados como Rondônia, Acre, Roraima e Amapá faziam a verdadeira festa do futebol nortista, levando as capitais a uma briga saudável para sediar a competição.

Neste período de amadorismo (1945 a 1990), Ferroviário e Moto Clube faziam grandes clássicos, e é considerado até hoje, por jornalistas e torcedores, como o maior e melhor de toda história do futebol rondoniense. O confronto entre as duas equipes lotava o velho Aluízio Ferreira. No entanto, com a chegada do profissionalismo, ambas as equipes se afastaram do futebol, o Ferroviário chegou a disputar o campeonato de 1991, mas após o vice-campeonato, licenciou-se e hoje vive apenas de seus sócios. Já o Moto Clube de tantas glórias e conquistas, seguiu o rumo do Ferroviário, porém devido a várias más gestões de seus dirigentes, o clube encontra-se completamente falido, o que é uma pena para o esporte do estado.

O Moto Clube inclusive, proporcionou ao futebol do estado, a maior glória em competições regionais, pois o dia 17 de julho de 1977 jamais será esquecido. Nesta data, o torcedor vibrou, chorou e comemorou juntamente com sua equipe a conquista do mais importante título da história do futebol rondoniense, a Taça da Integração da Amazônia, o popular Copão da Amazônia.

O Moto Clube venceu o Rio Branco por um placar apertado e conquistou o título, que voltou a se repetir um ano depois no dia 13 de setembro de 1978 contra o mesmo adversário.


Sidney barbosa da SilvaPesquisas de Sidney Barbosa da Silva.
Fontes: ffer.com.br - matéria de João Dalmo da Silveira, de 27-08-2004; Artigo de Laércio Becker; e www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 12/Abril/2009 atuaizada em 01/Maio/2021.