Historia da Copa do Mundo de 1930

O Internacional vive seu melhor momento no campeonato brasileiro da Série A, liderando a competição, o que vale uma aposta se vai ou não conquistar o titulo neste ano,pois suas ultimas conquistas do Brasileirão foram na década de 70. Tal momento pode ser aproveitado também pelos torcedores, mas uma das perguntas mais feitas é Como saber se um site de apostas é legítimo? Saber identificar um site legítimo é o primeiro passo para um caminho seguro das apostas.

Maior campeão gaúcho com 45 taças, seis a mais que seu eterno rival Grêmio, o Internacional terminaria o ano de 1976 com sua primeira estrela de campeão brasileiro, e um octa-campeonato estadual (de 1969 a 1976), e faria a maior goleada de sua história como time profissional: 14 a 0 no Ferrocarril. O clube de Uruguaiana até que fazia um bom campeonato, visto ter vindo de uma fase preliminar e, em seguida, ter conquistado a classificação no primeiro turno - primeira fase da competição. O jogo da goleada histórica era válido pela primeira rodada da segunda fase.

Após o jogo, os estatísticos consultaram seus alfarrábios e não encontraram coisa igual. O Inter acabava de aplicar a maior goleada de sua história: 14 a 0 no Ferrocarril, de Uruguaiana. Aconteceu num domingo, no Beira-Rio, diante de uma torcida mais estupefata que entusiasmada.

Mal a saída era dada e a bola já estava rondando a balisa de Orlando. Foram 37 chutes, incontáveis confusões na área e algumas boas defesas do goleiro, que, impediu outros tantos, voando ele de um lado para o outro com seus 120 quilos de peso e uma escandalosa barriga.

Orlando, goleiro do Ferrocarril, foi vazado 14 vezes
O goleiro Orlando, com seus 120 quilos, até que fez uma boa partida, mas falhou em três gols.

A goleada pôs em dúvida os critérios de classificação dos times do interior até aquele ano – cada vez mais generosos. O Ferro Carril, por exemplo, não encarou o campeonato com um mínimo de seriedade, a começar pelo próprio presidente, Edgar Fagundes, que assumiu o cargo de treinador sob alegação de que “a gente perde de qualquer maneira”. Havia jogadores como o centroavante Alvim, que morava a 300 km de Uruguaiana, treinava em sua própria cidade (Livramento) e só aparecia na hora do jogo.

O Inter não teve dó, como dizia o técnico Rubens Minelli: "Sem querer desmoralizar o adversário, nossa intenção era provar que o time não está em decadência, como andam falando". Com este resultado, o Internacional passou a ocupar a liderança isolada do campeonato.

Ficha técnica: Internacional 14 x 0 Ferrocarril (Uruguaiana)
Competição: Campeonato Gaúcho de 1976
Data: 23/Maio/1976, Domingo
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Renda: Cr$ 102.130,00 - Público: não disponível
Gols: Caçapava aos 1 e 6, Genau 11, Paulo César 12 e Flávio 42 (1º tempo); Valdomiro 3, Ramón 4, Cláudio 5, Figueroa 10, Valdomiro 23, Ramón 24, Escurinho 28, Ramón 38 e Valdomiro 45 (2º tempo). Juiz: Nazarino Pinzón - Auxiliares: Adilson Silveira e Verno Emílio Kersten
Cartão amarelo: Orlando

Internacional: Manga; Cláudio, Figueroa (Hermínio), Marinho e Vacaria; Caçapava, Escurinho e Paulo César; Valdomiro, Flávio (Ramón) e Genau.

Ferro Carril: Orlando; Vílson, Almerindo, Alemão e Dirceu; Caçapava (Osvaldo), Nilo e Amarante; Ênio, Alvim e João Pedro.

Nota: O internacional terminaria a competição com 26 partidas jogadas, 23 vitórias, 3 empates e nenhuma derrota. Teve o melhor ataque da competição, 69 gols marcados, média de 2,65 gols por jogo.


Por Sidney Barbosa da Silva.
Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 16/Setembro/2020.