Historia do Botafogo

Recentemente, a Federação Paulista de Futebol reconheceu o Clube Atlético Juventus como campeão paulista de 1934. Foi a reparação de uma longa injustiça, e fruto do trabalho de associados obstinados e apaixonados pelo clube da Mooca, que prepararam um farto dossiê, responsável por embasar a decisão da FPF.

Titulos Juventus homologado FPF 2021

A polêmica surgiu porque, naquele ano, duas entidades organizaram campeonatos: a extinta Associação Paulista de Esportes Atléticos (APEA) e a recém-criada FPF – Federação Paulista de Football. O Juventus era filiado à APEA e, para não perder sua filiação, disputou o campeonato da FPF sob a alcunha de Clube Atlético Fiorentino. Após vencer o torneio da capital, disputou e ganhou o título contra o campeão do interior, a Ferroviária de Pindamonhangaba.

Mesmo entre os que não são torcedores, muitos ficaram felizes pelo Juventus. O clube moqueano é reconhecidamente um dos mais tradicionais e simpáticos do estado. E sua história se confunde com a da própria cidade.

Quando o Juventus ganhou seu título lá em 1934, o Brasil era muito diferente. Getúlio Vargas era presidente, e tinha acabado de legalizar o jogo no país. Hoje, ele virou nome de avenida, e quem gosta de Roleta e Bacará precisa acessar um cassino online. Já a província de São Paulo (sim, era uma província) se desenvolvia a pleno vapor.

Antigo entreposto que ligava o porto de Santos às culturas de café, São Paulo ganhou um novo impulso com a imigração e com a industrialização, dois processos que ocorreram de forma simultânea e interligada. Entre os novos trabalhadores, uma grande massa de italianos, que fixaram residência perto das novas fábricas, como as que surgiam no bairro da Mooca.

Lá, um conde italiano chamado Rodolfo Crespi abriu um cotonifício. A empresa empregava inúmeros compatriotas emigrados que, além do gosto pela pizza, trouxeram para o Brasil a paixão pelo futebol. Em 1924, os operários da fábrica criaram um time sob os auspícios – e o nome – do patrão: nascia o Cotonifício Rodolfo Crespi Futebol Clube. O nome só seria alterado em 1930, quando o clube venceu as divisões intermediárias da APEA e ganhou acesso à liga principal. Foi o próprio conde que sugeriu Juventus, em homenagem ao time da cidade de Turim, que ele havia visto jogar em uma viagem recente ao norte da Itália.

O emblemático uniforme, com camisa grená e calções brancos, foi outra ideia do conde. Até então, o clube disputava os jogos com camisas brancas e calções pretos. Mas outros clubes da principal divisão – como o Corinthians – usavam o mesmo modelo. Crespi sugeriu, então, uma cor original, que nenhum outro clube usava até então – o grená, inspirado em outro time piemontês, o Torino FC. Com as cores de um e o nome de outro, o Juventus da Mooca homenageia os dois grandes clubes de Turim.
Titulos Juventus homologado FPF 2021
O estádio da Rua Javari, onde o Juventus manda seus jogos, também tem relação com a família Crespi. O terreno cedido para a construção do campo era um estábulo onde o conde mantinha seus cavalos, que corriam no antigo Hipódromo da Mooca. As primeiras arquibancadas eram de madeira e só em 1941 a estrutura foi modernizada. O curioso é que até 1976, o estádio ainda pertencia ao cotonifício. Nesse ano o clube finalmente comprou a propriedade, e a incorporou à sua sede social.

Outro patrimônio do Juventus é seu apelido: Moleque Travesso. A alcunha foi criada pelo jornalista Tomás Mazzoni, no primeiro ano do clube na divisão principal. A motivação foi uma vitória sobre o então bicampeão Corinthians, em pleno Parque São Jorge. Era o caçula da liga aprontado sobre um poderoso campeão, em uma molecagem típica do futebol.

Mas o Corinthians nunca foi um rival declarado do Juventus. Essa pecha ficou com a Portuguesa de Desportos, com quem o time da Mooca teve embates épicos, e também com o Nacional da Barra Funda, um clássico beira-trilhos que recebe o divertido apelido de Juvenal.

Além do agora reconhecido título paulista de 34, o Juventus também conquistou a Taça de Prata de 1983 – o que seria hoje a Série B – no que é até hoje sua maior glória. Teve momentos de destaque durante os anos 80, quando era um time que frequentemente engrossava partidas contra os quatro grandes da capital.

Se hoje não está nas divisões de elite do futebol, pouco importa. Seus fanáticos torcedores continuam acompanhando o clube, aonde quer que ele vá. E torcedores de outros times continuam simpáticos a esse não menos simpático clube da Mooca.


Página adicionada em 08/Outubro/2021.
por Sidney Barbosa da Silva.