AceOdds últimos códigos promocionais de apostas

Primórdios
É inegável a contribuição do Instituto Granbery, fundada m 1899, nas atividades esportivas de Juiz de Fora. Lá foi jogada a primeira partida de futebol entre duas equipes de alunos, isto em 1894. Jogo incipiente, limitado, que somente em 1906 passou a interessar ao público, ocasião em que o Granbery jogou com o Ginásio Mineiro de Barbacena, cuja equipe era improvisada.

Em 1915 o Granbery jogou com a equipe do Athletico Mineiro, no Campo do Prado Mineiro, em Belo Horizonte. Esse jogo foi destacado pela revista A Vida de Minas.
Team do Grandery, em 07.09.1915, em jogo contra o Athletico Mineiro
Team do Granbery, em 07.09.1915. Foto: A Vida de Minas, de 30 set. 1915.

Primeiros clubes
Entre os mais importantes clubes na história do futebol juiz-forano, estão o Tupynambás, fundado em 15.08.1911; o Tupi, em 26.05.1912, o Sport Club Juiz de Fora, fundado em 24.09.1916, e o SC Renato Dias, fundado em março de 1917, que deixou de existir em meados de 1932.

Fundação das Ligas
A primeira liga em juiz de fora foi fundada em 22 de fevereiro de 1918 sob a denominação de Sub Liga Mineira de Desporto Terrestres (SLMDT), por iniciativa dos abnegados desportistas Paulo Schmitz, do Tupynambás F.C., e Antônio Aguiar - o Canoinha - do Tupy F.C., e da vontade do Dr. Marcondes Ferraz, então Presidente da Liga Mineira, de realizar uma partida de futebol entre esta cidade e a capital.

Esta histórica partida ocorreu em 14 de outubro de 1917, entre os escretes de Juiz de Fora e de Belo Horizonte, no campo da Avenida Francisco Bernardino, então pertencente ao Tupy F.C., despertando grande ineteresse da população. A equipe da cidade foi formada por elementos do Tupynambás, Tupy e do Colégio Academia. Eis a ficha técnica:

Juiz de Fora 0 x 0 Belo Horizonte
Data: 17.10.1917 - Local: Campo do Tupy
Juiz de Fora: Aparício; Raul e Pelágio; Kock, Ernani e Biaz; Aguiar, Carioca, Hugo, Totonho e Chaves.
Belo Horizonte: Amador; Mourinha e Leão; Cainço, Testi e Celso; Moretsohn, Otávio, Dufles, Yvanir e Osman.

Entretanto, com a forte chuva torrencial que caia, a partida perdeu muito do seu brilho, tendo sido disputado somente um tempo.

Satisfeitos com a realização desta partida, os desportistas da cidade se reuniram às 19 horas do dia 22 de fevereiro de 1918, no Salão do Comercial Clube, à Rua Halfeld, tendo sido a sessão presidida pelo Dr. Marconde Ferraz, que se fez acompanhar do Dr. Álvaro Felcíssimo, fizeram-se representar nessa importante reunião, além de inúmeras pessoas gradas, os representantes dos seguintes clubes: Tupynambás F.C., Tupy F.C., Sport Club Juiz de Fora e do S.C. Renato Dias.

Discutidos diversos assuntos, tratou-se então da formação da Primeira Diretoria que ficou assim organizada:
Presidente: Renato Cordeiro Dias;
1° Vice-Presidente: Abril de Araújo Alves;
2° Vice-Presidente: Eduardo Weiss;
1° Secretário: Pedro Gonçalves de Oliveira;
2° Secretário: Hosano Fonseca;
1° Tesoureiro: Paulo Schmitz;
2° Tesoureiro: Besnier José de Oliveira.

Profissionalismo

Em 06 de junho de 1933, o profissionalismo foi implantado no futebol de Juiz de Fora, ocasião em que a Sub Liga Mineira de Desportos Terrestres passou a denominar-se Associação Mineira de Esportes. Mais tarde, em 1935, a A.M.E. desvinculou-se de Belo Horizonte, passando a representar Minas Gerais junto à C.B.D. até o final do dissídio esportivo, em 1937. Desta maneira, Juiz de Fora, pela primeira vez, representou o estado de Minas Gerais no Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais no ano de 1935. Fato este repetido em 1936.

Extinção da Divisão Especial de Profissionais

A reforma do Estatuto da Federação Mineira de Futebol, em 1968, extinguiu a Divisão Especial de Profissionais que a Liga de Desportos vinha mantendo desde 1955. Esta medida, examinada pelo Conselho Divisional da 1ª Divisão da Liga de Desportos de Juiz de Fora, em 25 de abril de 1969, redundou a criação da 1ª Divisão de Amadores e Juvenís, além da manutenção da Divisão de Amadores (1°s e 2°s quadros). Desta forma, Tupi, Tupynambás e Sport, ingressaram na Federação Mineira de Futebol.

Ligas que geriram a competição 1918 a 1968:

- SLMDT: Sub Liga Mineira de Desportos Terrestres, fundada em 22.02.1918. Seus clubes fundadores foram: Tupynambás FC, Tupi FC, Sport Club de Juiz de Fora e SC Renato Dias, este extinto em 1932.
- AME: Associação Mineira de Esportes, fundada em 06.06.1933 - implantação do profissionalismo;
- LDJF: Liga de Desportos de Juiz de Fora, fundada em 11.11.1942 - Decreto 3.199, de 14.04.1941.

EX-PRESIDENTES
- Renato Cordeiro Dias, 1918 e 1919
- Pedro Carlos da Silva, 1920
- Bernardo B.P. Barbosa, até 06 de maio de 1921
- Pedro Carlos da Silva, a partir de 15 de maio de 1921 - Américo Fraga, a partir de 04 de abril de 1922
- Antônio Justiniano Bastos, 1923
- Benjamin Colucci, 1924 e 1925
- Pedro Vieira Mendes, 1926 e 1927
- Francisco Salles de Oliveira, 1928
- Pedro Gonçalves de Oliveira, a partir de 25 de abril de 1928
- João Bernardino Alves, 1929
- Francisco Salles de Oliveira, até 17 de junho de 1930
- José Luiz Stehling, a partir de 17 de junho de 1930
- Jonathas Porto, até 23 de abril de 1931
- Ormindo Maia, a partir de 24 de abril de 1931
- Edgard Ribeiro de Castro, 1932
- Manoel Gomes Filho, 1932 até 02 de junho de 1933
- Miguel Cautiero, a partir de de 09 de junho de 1933
- Antônio Horta Jardim, 1934 e 1935
- José Bonifácio da C. Botafogo, 1936
- Manoel Gomes Filho, 1937
- Paulo Pinho, 1938
- Manoel Marques Sobrinho, 1939 até 07 de maio de 1940
- Pedro Vieira Mendes, depois de 28 de maio de 1940, 1941 e 1942
- Arlindo Leite, 1943
- Oscar Silva, outubro de 1943 e 1944
- Sérgio Vieira Mendes, 1945, 1946, 1947 e 1948
- Olavo Costa, 1949 e 1950
- Manoel Gomes Filho, 1951
- José João Jorge, 1952, 1953 e 1954
- Elias José Féres, 1955, 1956, 1957, 1958 e 1959
- Raimundo Nonato Lopes, 1960, 1961, 1962 e 1963
- José Teixeira Brandão, 1964
- Elias José Féres, 1965 e 1966
- Geraldo Remo F. Mendes, 1967 e 1968

Em 1969, ano da disputa do último Torneio Profissional, denominado Troféu José Paiz Soares, o presidente era Calil Rad, que ficou no cargo até 1972. O sucedeu Agostinho José Peres, em 1973 e 1974, depois em 1977 e 1978. Em 1975 e 1976, presidiu a entidade, Albino Nunes dos Santos.

Fonte: Revista Tupynambás, de agosto de 1946; Jornal O Lampário, de 07 de fevereiro de 1965; Publicação "Retrospectiva do futebol em Juiz de Fora 1918-1978", por Geraldo Gerheim, de 18 de dezembro de 1978; nos Arquivos Campeões do Futebol.
Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva. Página adicionada em 14 de Outubro de 2023.