Fundado como dissidência do antigo Manaos Sporting Club, motivada por desentendimento entre o presidente e o capitão da equipe Manuel Fernandes da Silva, o Fernandinho, quando em reunião da diretoria discutia-se determinado artigo do Estatuto do Clube.

A oposição de Fernandinho encontrou guarita entre seus companheiros de equipe, da qual faziam parte, entre outros, o Sr. José Marçal dos Anjos, de tradicional família Manauense, que em solidariedade o acompanhou na saída do Manaós Sporting.

Assim, a 13 de janeiro daquele ano, fundou-se em uma casa familiar, na Avenida 7 de setembro, próximo a Prefeitura Municipal, uma associação esportiva com o nome Eleven Nacional.

1° Time do Nacional em seu primeiro jogo: 20 de Julho de 1913, Manáos Athletic 4 x 2 Eleven Nacional

Eleven Nacional em 1913Em pé, começando pela esquerda, está Manoel Fernandes da Silva, conhecido como Fernandinho, fundador do Nacional. Estudou na Inglaterra e foi funcionário federal no estado de Rondônia. Ao lado, Antônio Craveiro, centroavante, foi funcionário do Correios, morreu ainda jovem, com 33 anos, depois que foi acometido de tifo. Segue o moreno José Ernesto e ao seu lado, o juiz do jogo com o uniforme do Manaós Sporting Club (pode-se ver na camisa as iniciais do clube MSC). No canto direito da foto, um pouco mais atrás, um anônimo torcedor elegantemente vestido de braços cruzados.

No centro, de joelhos, estão Jorge Hermes, sobrinho do antigo corretor Hermes de Araújo. Manoel Laíza e Authberto Rocha que durante muito tempo gerenciou a agência do Lloyd Brasileiro de Manaus que funcionava na Rua Marechal Deodoro.

Na fila da frente, vemos Santos Ferreira e Paulo Melo que era antigo despachante aduaneiro. Sentado segurando a bola está Cícero Costa, zagueiro que chegou a jogar pelo Clube do Remo e que também era excelente violonista. Ele foi o autor de cinco gols no primeiro clássico RioNal, realizado no dia 2 de março de 1914. E para finalizar, Jorge melo e Fausto Paiva.

Era precisamente por interesse meramente esportivo que nascia um Clube alicerçando sua vida nos gramados sob o calor de uma torcida que viria a ser mais impetuosa, a mais vibrante, a mais numerosa da terra de Ajuricaba.

Mais tarde, o novo clube já estruturado teve o nome mudado para Onze Nacional: isso em virtude de critica formulada pelo professor Coreolano Durand, Nacionalino autêntico que dirigia a Manuel Fernandes da Silva, não compreender que um clube que vedava a entrada em seu plantel de qualquer jogador que não fosse brasileiro nato, tivesse palavra estrangeira no seu próprio nome.

A primeira sede do Nacional foi instalada na gestão dos Senhores José Onando Mendes e Cel.Leopoldo Matos, presidente e vice-presidente e estava localizado na estrada, hoje avenida, Epaminodas. Somente em 1930, na Rua Saldanha Marinho, é que o Onze passou a se chamar Nacional Futebol Clube.

O Nacional honra-se possuir a hegemonia do pebol caboclo nas datas históricas; campeão do centenário da independência do Brasil: campeão do centenário da elevação do Amazonas á categoria de província: do cinqüentenário de Fundação; Da primeira taça da Amazônia; e do primeiro campeonato profissional.

Tudo isso foi conseguindo graças ao esforço de suas diretorias onde pontilharam homens de escol como Cizeno Sarmento, Severiano Nunes, Amadeu Melo, Marçal do Anjos e muitos outros, da obrigação de seus atletas e da crença iluminada de sua imensa torcida.

Assim, são transcorridos 95 anos e o clube das massas continua sua trajetória brilhante ganhando-se quando o nome do Amazonas desportivo reclama sua presença, reconhecendo o valor de seus co-irmãos e mostrando-se sempre jubiloso em contar com o entusiasmo incessantemente renovado das gerações mais novas, que são de fato, o sustentáculo de sua vida, e a razão de ser de sua glória.

TÍTULOS

Foto do Troféu Rei Hassam II (Marrocos/1984)
Copa do Rei Hassan II de Marrocos 1984Torneio Internacional Pacto Amazônico: 1981
Torneio Nacional Centro/Sul x Norte/Nordeste (1969)
Campeonato amazonense: 1916, 1917, 1918, 1919, 1920, 1922, 1923, 1933, 1936, 1937, 1939, 1941, 1942, 1945, 1946, 1950, 1957, 1963, 1964, 1968, 1969, 1972, 1974, 1976, 1977, 1978, 1979, 1980, 1981, 1983, 1984, 1985, 1986, 1991, 1995, 1996, 2000, 2002, 2003, 2007, 2012, 2014, 2015
Taça Estado do Amazonas: 1967, 1968, 1969, 1970, 1974, 1975, 1977, 1978, 1980, 1981, 1983, 1984, 1985, 1986, 1991, 1994, 1996, 2000, 2001, 2009, 2012
Taça Cidade de Manaus: 1963, 1964, 1972, 1974, 1976, 1978, 1979, 1981, 1985, 1987, 1990, 1992, 1995, 2001, 2002, 2003, 2007, 2011, 2013, 2014
Taça Terceiro Turno do Amazonense: 1965, 1977, 1978, 1979, 2000
Copa do Amazonas: 1999
Torneio Inicio ACLEA: 1946, 1948, 1962, 1964, 1967, 1970, 1973, 1974, 1975, 1978, 1981, 1992, 1999, 2000, 2004.
Seletiva Amazonense do Torneio Norte-Nordeste: 1969
Copa do Rei Hassan II (Marrocos): 1984.
Torneio Quadrangular de Manaus - Interestadual: 1985
Torneio de Porto Velho (RO): 1975
Taça Amazônia - Interestadual: 1963
Copa Amazônia - Interestadual: 1982
Taça Centenário do Rio-Nal: 2013

Hino Oficial
O hino oficial do Clube foi composto por Flávio de Souza, em 1968. Flávio de Carvalho Souza nasceu na cidade do Cruzeiro do Sul, no Acre.

Nacional, Nacional, Nacional
Teu glorioso pavilhão nos encoraja para a luta com ardor e união.
Mais querido e sempre amado, pela tua tradição de campeão,
Sempre consagrado no gramado, oh clube amado, Nacional do meu coração
Vamos a luta, lutar para vencer
Se for preciso lutar até morrer
Lutar com disciplina e destemor
Mostra a todo mundo o teu valor
Tua torcida estará sempre ao teu lado,
Sempre fiél, meu clube adorado,
Tua estrela azul é o símbolo de glória,
Avante Nacional para a vitória

PRESIDENTES
1913 Manoel Fernandes da Silva, Fundador e 1º Presidente do Nacional
1913 a 1918 Coriolano Durand
1918 a 1920 José Amandio Mendes
1920 Jaime Vasconcelos
1921 a 1922 João Leandro Hermes d’ Araújo
1922 – 1923 Cel. Leopoldo de Moraes Mattos
1923 Julio Verne de Mattos Ferreira
1924 Vivaldo Palma Lima
1931 José Augusto Tanajura
1934 Waldemar Werneck
1934 a 1935 Paulo José da Silva Nery
1936 Adolpho Hermes d’ Araújo
1937 a 1938 João de Paula Gonçalves
1939 a 1944 Cap. Mario Silva
1944 a 1946 Joaquim Paulino Gomes
1947 a 1948 José Marçal dos Anjos
1957 Ney Oscar de Lima Rayol
1962 a 1964 Plínio Ramos Coelho
1964 a 1975 Joaquim Paulino Gomes
1975 a 1985 Manoel do Carmo Chaves Neto
1985 a 1988 Onesmo Gomes
1991 Evandro Paes de Farias
1991 a 1992 Paulo Renato Atayde Girardi
1993 a 1994 Evandro Paes de Farias
1995 a 1999 Mario Jorge Taveira Cortez
1999 a 1999 Alcebíades de Leiros Cavalcante de Oliveira
1999 a 2006 Evandro Paes de Farias
2007 – 2008 Manoel do Carmo Chaves Neto
2009 a 2012 Luis Augusto Mitoso Jr.
2013 a 2016 Mario Jorge Taveira Cortez
2017 – atual Roberto Peggy Pinheiro

EVOLUÇÃO DOS ESCUDOS
Nacional FC de Manaus As cores oficiais do Nacional são o Azul e Branco. Também são usadas as cores Verde e Amarelo, presentes no Escudo Oficial. O atual escudo, também conhecido como Brasão ou Escudo de Gala, representa a Águia Nacionalina e foi desenhado, originalmente, pelo sócio fundador, Coriolano Durand. Esta versão está em vigor desde o ano do centenário, em 2013.
Abaixo, os utilizados antes desta data.

Nacional FC de Manaus
Nacional FC de Manaus

Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva
Fontes: fafamazonas.com.br/site/clubes; WebArchive / Participações; WebArchive / Sócios Fundadores; Revista Placar de 04-02-1977 (Sobre o Titulo do Centro_sul x Norte Nordeste 1969); e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 11/Outubro/2021.