Historia da Copa do Mundo de 1930

Campeões do Futebol
Fonte: Pixabay

A temporada no futebol italiano foi recheada de surpresas, desde a conquista da Inter de Milão na Série A até o título da seleção na Euro 2020. Esses dois acontecimentos mostram que a reformulação no futebol do país finalmente mostrou algum resultado, após anos sem protagonismo no esporte. Um destaque vai para a presença de alguns brasileiros no elenco italiano, e que fazem parte da mudança de estilo do time bicampeão europeu.

Desde o início da Euro, a Itália era colocada como uma possível surpresa na disputa, pois o elenco contava com alguns bons nomes que se destacaram no Campeonato Italiano. Federico Chiesa, Gianluigi Donnarumma e Leonardo Bonucci eram alguns dos jogadores que chamavam a atenção. O resultado, como mostra a cobertura do portal Globoesporte, foi o bicampeonato conquistado após 53 anos de espera.

Esse título pode surpreender alguns desavisados, mas o futebol italiano tem passado por uma grande reformulação. Desde o título da Copa do Mundo de 2006, a seleção azzurra sofreu com os resultados ruins nas competições oficiais. Nos dois mundiais seguintes, em 2010 e 2014, a equipe não passou da fase de grupos. Pior que isso apenas em 2018, quando a Itália não conseguiu nem se classificar para o Mundial na Rússia.

O foco no desenvolvimento de jogadores nacionais virou prioridade na Série A, que restringiu o número de estrangeiros. Isso permitiu com que jovens jogadores, como Nicolò Barella e Alessandro Bastoni, surgissem para o futebol. Eles dois fizeram parte do elenco da Inter de Milão campeã italiana da temporada 2020/2021. Além disso, quase 80% dos convocados para a Euro atuam no torneio nacional. Um sinal de que o futebol por lá está caminhando na direção correta.

Brasileiros entre os italianos

Apesar de fechar a porta para os jogadores estrangeiros, o futebol italiano também apostou na naturalização de alguns brasileiros para montar um elenco forte. Na convocação para a Euro 2020, como mostra o jornal O Globo, três brasileiros naturalizados ganharam uma oportunidade com o treinador Roberto Mancini. Além do volante Jorginho, estrela do Chelsea e titular em alguns jogos da Itália, o zagueiro Rafael Tolói e o lateral Emerson também deram um toque do Brasil no título europeu.

Essa forte presença de jogadores brasileiros na Europa é uma tradição, e que não para de crescer. Um relatório divulgado pela CIES Football Observatory aponta que o Brasil lidera o ranking de atletas estrangeiros em atividade no velho continente. São mais de 460 jogadores que estão buscando a sorte. Um deles é o zagueiro Rodrigo Ely, como mostra a reportagem especial do blog da Betway. O jogador de 27 anos atua na Europa desde 2010 e nunca teve interesse em voltar.

Com passagem pela categoria de base do Grêmio, Ely chamou a atenção do Milan com apenas 17 anos e rapidamente acabou vendido. Entretanto, pela falta de experiência, teve dificuldades para se adaptar e foi emprestado para diferentes clubes. Em entrevista para a Betway, site de soccer bets, o zagueiro conta que conseguiu se encontrar no futebol na Espanha, onde defende o Alavés. O curioso é que ele chegou a ser convocado para as categorias de base da Itália, mas preferiu jogar pelo Brasil. Um caminho diferente dos jogadores campeões da Euro 2020.

Futuro promissor da Itália

Após o título continental, o próximo passo italiano é conquistar a Copa do Mundo de 2022. Uma tarefa que será mais complicada, porém longe de ser algo impossível. A equipe mostrou um grande potencial contra os rivais e deve chegar ainda mais equilibrada para a disputa no Catar.

Com vitórias contra Espanha, Bélgica, Suíça e Inglaterra, a Itália mostrou que a reformulação do futebol está dando bons frutos. Na fase de grupos da Euro, a equipe conseguiu a proeza de marcar 7 gols e não sofrer nenhum. Números que mostram o melhor do futebol italiano.


Por Sidney Barbosa da Silva
Página adicionada em 14/Julho/2021.