HISTÓRIA DO SÃO RAIMUNDO DE MANAUS


São RaimundoSÃO RAIMUNDO ESPORTE CLUBE
Fundado em 18 de novembro de 1918
Endereço: Rua Rio Branco, 55 - CEP 69027-000 Bairro de São Raimundo - Manaus/AM
Estádio Ismael Benigno (Colina)
Site Oficial: indisponível


Clubes do Brasil Clubes do Mundo Clubes Amadores

 

A história do São Raimundo é rica e repleta de personagens. Fundado em 18 de novembro de 1918, logo após do fim do "boom" da Borracha em Manaus. O clube leva o nome do bairro de onde vieram seus fundadores e onde até hoje é acolhido, num dos bairros mais antigos da capital amazonense, localizado na Zona Oeste da cidade. O clube sempre reuniu as cores azul e branco, mas nem sempre teve o nome do bairro.

Em 1915 Francisco Rebelo e o Professor Assis fundam o Risópolis Clube Recreativo. No mês de maio de 1918, o professor Rebelo de Souza decide formar um time de futebol. Do que se tem registro desta história, numa residência localizada à rua 5 de setembro na esquina com o Beco Normando, reúne um grupo de pessoas e muda o nome do Risópolis, fundando o Risofóles, nome do qual não se conhece a escolha.

O time do Risofóles não vai muito longe, mas a idéia é suficiente para solidificar o embrião do São Raimundo. Rebelo de Souza, primeiro presidente do clube, agora acompanhado de mais abnegados do futebol, volta a criar um clube, chamado finalmente pelo nome definitivo. São fundadores os irmãos José e Quincas Vidal, Neuton Queiróz, João Carlos Frederico, Dorval Dias, Belmiro Costa e Olímpio de Carvalho.

A Primeira sede do São Raimundo localizava-se na mesma "rua da Ponte", rua 5 de setembro. Antes desta DATA, As reuniões eram em locais aleatórios.

Em 19 de outubro de 1926 o clube aprova o seu primeiro Estatuto e começa a definir sua personalidade. O tempo passa e Ismael Benigno, filho do bairro e querido pela população, marca sua paixão pelo clube, permanecendo até 1966 à frente da presidência como o presidente que mais tempo ficou no cargo.

São cerca de 25 anos dirigindo o clube. Apesar de não ter registros oficiais de seus mandatos, Ismael Benigno eterniza seu comando e constrói a primeira sede. Três contos de réis são pagos a Joana Pititinga, por uma residência da rua 5 de setembro, aonde o clube iria se instalar pela primeira vez em caráter oficial a partir do dia 18 de novembro de 1943 em seu 25º aniversário.

Em 1956, finalmente o São Raimundo, ou "Mundico", ou "Tufão", ou ainda, "São Rai", chega à primeira divisão. No mesmo ano o cronista Irizaldo Godot, editor de esportes dos jornais "O Jornal" e "Diário da Tarde", dá ao time o apelido de Tufão, e na estréia contra o maior rival, o Sul América, surge também o clássico "Galo Preto".

O TIME é dono de uma torcida apaixonada. Mesmo quando deixou de participar dos campeonatos amazonenses (de 1980 a 1983), (1994 e 1995) os torcedeores nunca deixaram de torcer pelo TIME.

Apesar das dificuldades financeiras e de um período de obstáculos, o São Raimundo guarda em sua história esportiva títulos e belas recordações. Embora sejam inegáveis as conquistas dos anos 2000 a 2006, o clube teve nos anos de 1961 e 1966, as primeiras glórias profissionais.



Taz ou Tufão é o Mascote
Mascote

HINO DO CLUBE
Avante, avante, avante!

Um dos caminhos mais poéticos que um clube do futebol pode percorrer, está nas trilhas da melodia e da letra de seu hino. Através da composição de Francisco da Silva, o São Raimundo costurou um laço de identificação entre a torcida, os jogadores e todos os que em algum dia voltem os olhos para o Tufão. Amor, emoção, paz, fascinação e orgulho por todos os momentos. O hino do São Raimundo é uma declaração apaixonada.

A história desta composição nasceu de um momento histórico. Após 79 anos de atividades, finalmente o início de uma era de conquistas abriu-se para o time. Em 22 de dezembro de 1997, comemorando o primeiro título após 31 anos de jejum, o campeão estadual ganharia seu primeiro e definitivo hino.

A primeira homenagem veio para a torcida. "Tua torcida é sincera". Este verso apontaria toda a perspectiva do compositor, preocupado em demonstrar os diversos aspectos do clube. "Vibra com o azul do céu/ levando o branco da paz e da harmonia/ Gritando: Tufão, Tufão, Tufão", veio como referência direta às cores ao imponente apelido de Tufão.

O respeito adquirido dentro da sociedade amazonense e brasileira transcendia os gramados. "No campo ou em qualquer lugar". E como não poderia deixar de estar, a velha e acolhedora Colina, o Estádio Ismael Benigno, representado como elemento participativo do sucesso do futebol. "Vem do alto da Colina/ A força para lutar".

A quarta estrofe soa como uma convocação. O São Raimundo é hoje dono da mais presente torcida do Amazonas aos estádios, que como tal, tem na união, no incentivo e na busca por conquistas, o combustível para vencer. "Vamos meu clube querido/ Pro gramado com muita união!/ Buscando novas alegrias (...)"

A LETRA DO HINO

Avante, avante, avante!
Clube do meu coração!
Tua torcida é sincera,
E cheia de emoção.

Vibra com o azul do céu,
Levando o branco da paz
e da harmonia,
Gritando: Tufão, Tufão, Tufão!
Numa explosão de amor e alegria! (Bis).

São Raimundo, tu me fascinas,
No campo ou em qualquer lugar,
Vem do alto da Colina,
A força para lutar!

Vamos meu clube querido,
Pro gramado com muita união!
Buscando novas alegrias,
Mostrando que és o campeão!
 
O título de 1966 marca pela primeira competição oficial de futebol realizada pela Federação Amazonense de Futebol (FAF). No time estava o presidente (em 2001) Orlando Saraiva.

Tri da Copa NorteO São Raimundo a partir de 1996 "renasceu" para o Amazonas. Com a chegada de Aderbal Lana, o mesmo que embalou o sonho e o orgulho em ser nacionalino em 1985-1986, no tempo da "máquina azul", o Tufão participou do Brasileirão Série C 1996. Com muito trabalho nos anos seguintes, vieram os resultados: o Tufão foi tri campeão amazonense (1997/98/99), terceiro lugar na última edição da Conmebol em 1999 e vice-brasileiro (Série C) no mesmo ano, sem falar no Tri-campeonato da Copa Norte (1999/2000/2001 - foto do tri ao lado, Fonte Jornal A Crítica), maior orgulho da sua fanática torcida. Além disso, veio o reconhecimento nacional para o Clube, disputando a Copa dos Campeões em 2001.

O Ùltimo Título Estadual
Atualmente o clube vive um jejum de mais de 13 anos sem conquistas. O último titulo de primeira divisão foi em 2006. Na ocasião, com público abaixo de 1.000 torcedores, a equipe do São Raimundo conquistou título do Campeonato Amazonense 2006 por antecipação - já que venceu também, o primeiro turno. O título do Tufão da Colina chegou após o empate em 1 a 1 com o Fast Clube, no estádio Vivaldo Lima, em partida válida pela decisão do segundo turno do Estadual. Foi o sétimo título amazonense do Tufão. A equipe do Fast Clube, ficou com a segunda colocação geral na competição.

Ficha Técnica: São Raimundo 1 X 1 Fast Clube
Local: estádio Vivaldo Lima (em Manaus)
Público pagante: 816 - Renda: R$ 6.497,50
Arbitro: Milton César Albuquerque
Auxiliares:: Raimundo da Paz Arruda e Ivo Fernando da Costa.
São Raimundo: Flávio Mendes, André Oliveira, Paulão, Thiago e Pezão; Ismael, Márcio Parintins, Luíca (Carlos Alberto), Vidinha (Nando); Garanha (Babá) e Delmo.
Fast Clube/Itacoatiara: Labilá, Vagner, Nei Junior, Éder e Carlinhos; Heraldo (Fábio), Junior César, LeMichel e Michel (Jeremias); kitó e Bazinho.

TODOS OS TITULOS
CATEGORIA PRINCIPAL
• Vice Campeão Brasileiro da Série C: 1999
• Copa Norte: 1999, 2000 e 2001
• Campeonato amazonense: 1961, 1966, 1997, 1998, 1999, 2004 e 2006
• Campeonato amazonense da Segunda Divisão: 2017 (Extra)
• Torneio Inicio do Estadual: 1956, 1963 e 1998
• Taça Amazonas: 2006
• Campeonato da Cidade de Manaus: 1956, 1960 e 1963

OUTRAS CATEGORIAS
• Campeonato amazonense da 2ª Categoria: 1947
• Campeonato amazonense - Juvenil: 1960, 1977
• Campeonato amazonense de Juniores: 1998
• Torneio Infanto Juvenil de inauguração do Estádio Vivaldo Lima: 1968

Curiosidades
O estádio da Colina já se chamou Gilberto Mestrinho; só em 1977 passaria a se chamar Estádio Ismael Benigno.

O São Raimundo foi , em 1966, o primeiro campeão profissional do Amazonas, que neste campeonato tinha a recém criada FAF (Federação Amazonense de Futebol).

A seleção da Jamaica fez uma excursão pelo Brasil antes de disputar a Copa da França. Péssimo momento para enfrentar o falado São Raimundo... 3x0!

O São Rai precisou vencer uma seletiva, empatando em 1x1 com Sport-PE (3° da Copa do Nordeste) em Recife e vencendo o Goiás (campeão do Centro-Oeste) por 2x0 em Manaus, para poder disputar a Copa dos Campeões de 2001. Acabou campeão da seletiva. No ano anterior, havia ficado de fora por conta da mesma seletiva.

É o único clube amazonense a ter disputado uma competição oficial da Comenbol, em 1999. Naquele torneio despachou o Atlético Huila da Colômbia por duplos 2x1 e o Sport Boys (empate no Peru por 1x1 e goleada de 4x0 em Manaus). O sonho da conquista sul americana do São Raimundo parou quando enfrentou o CSA-AL em 24/11/1999. Venceu em Manaus por 1x0 e perdeu a volta por 2x1, em Maceió, com gol da vitória do CSA nos descontos (bastante questionados na época). O Tufão acabou eliminado nos pênaltis. Ah, se a regra do gol fora de casa valesse naquela época...

Em 2003, o Náutico do Recife quase levou Delmo - estrela do Tufão. A torcida e a diretoria fizeram um grande esforço e cobriram a proposta do clube pernambucano, tudo para que Delmo ficasse no São Raimundo.

O Estádio da Colina
O Estádio Ismael Benigno (abaixo, foto de 2012), é um dos maiores símbolos do futebol amazonense, e também representa uma espécie de ponto de encontro da torcida. Erguendo-se na parte mais alta do bairro de Santo Antônio, é chamado carinhosamente de Colina, recebendo os torcedores de todas as torcidas e alguns dos nomes consagrados do futebol brasileiro.

Quem chega pela primeira vez, jamais imaginaria o que foi a Colina há anos atrás. Em 1952, o então governador do Amazonas, Plínio Coelho, e o presidente do clube, Ismael Benigno, trocaram uma parte do terreno da sede do São Raimundo pelo local onde seria construído o Estádio. Não havia grama, marcações ou se quer uma cerca. Tudo era apenas um matagal vazio.

No dia 18 de novembro daquele ano, o São Raimundo entraria em seu campo pela primeira vez. Sem gramado, num chão terraplenado por máquinas, o time enfrentaria o time da Serraria Hore, numa partida tão modesta quanto o palco de jogo, mas percussora das alegrias que o futebol protagonizaria.

Maquete do Novo Estádio da Colina 2013É apenas em 1961, com recursos próprios e no esforço do presidente Ismael Benigno, que as primeiras construções são realizadas. No dia 19 de fevereiro o São Raimundo recebe o Sport do Recife, e na primeira grande festa do que passou a se chamar Estádio Gilberto Mestrinho, agora com arquibancadas e vestiários, 1.000 torcedores assistem a uma goleada de 8 x 1 do time pernambucano sobre o anfitrião.

Em 1964, finalmente o Estádio recebe um alambrado. E em 1967, mais uma vez o São Raimundo faz história, promovendo após cerca de 20 anos, um jogo noturno. No dia 18 de fevereiro de 1967, acontece a primeira "Festa da Luz". Mais uma vez o time da casa não é feliz, e perde por 3 a 1 para o Nacional. Diante de 4.386 pagantes, o São Raimundo oferece à noite manauense o futebol como lazer.

Somente em 1977 na administração do presidente Raimundo Sena, o Estádio volta a receber obras. Desta vez o Conselho do clube decide pela troca do nome, que de Gilberto Mestrinho passa a se chamar Ismael Benigno, em homenagem ao presidente falecido três anos antes.

Saem as arquibancadas de madeira e entra o cimento. Um quadrangular é disputado entre os donos da casa, o Nacional, o Fast e a Rodoviária. Vitória final do Fast, diante do que seria a última reforma até a nova era de conquistas e avanços do São Raimundo, iniciada em 1996.

O São Raimundo vem desde de 1997 investindo em sua própria casa, e o terreno abandonado de 1952 transformou-se numa imponente construção reformada e ampliada, enchendo de orgulho a torcida.

Em 1997 o cenário era desagradável. Sem iluminação, com os alambrados parcialmente destruídos e até sem gramado, o Estádio Ismael Benigno não oferecia condições de conforto para jogadores, torcedores e imprensa. O futebol havia se tornado impraticável na Colina.

O início do trabalho vitorioso do diretor de futebol, Ivan Guimarães, permite realizar a primeira reforma. São trocados os degraus quebrados da arquibancada, o piso recebe grama e drenos, e uma iluminação é instalada para os jogos noturnos.

No ano 2000 o sonho de um Estádio digno das últimas temporadas de glória concretiza-se. São colocados mil assentos nas arquibancadas cobertas, reformadas as seis cabines de rádio, disponibilizadas cadeiras cativas, e toda a estrutura é melhorada. Vem a segunda "Festa da Luz", realizada no dia 4 de agosto e com ela um 5 a 0 na seleção de Suriname.

O Estádio recebe uma das melhores iluminações de todo o mundo. Quatro torres com 35 refletores cada, num total de 140 lâmpadas, são instalados com a tecnologia Philips. O resultado é o reencontro definitivo do time e da torcida com a Colina, numa série de jogos com grandes públicos e partidas memoráveis.

Para o time um vestiário com banheiras de hidromassagem, departamento médico, dez chuveiros e uma infra-estrutura pronta para atender qualquer necessidade dos atletas, antes, durante e após as partidas. São 105m x 68m de campo, e quase cinco décadas de futebol.

Reforma para a Copa do Mundo de 2014

Maquete do Novo Estádio da Colina 2013A reforma do estádio Ismael Benigno, anunciada em 2009, finalmente saiu do papel (veja como ficará na maquete ao lado). De acordo com informações da assessoria da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), a licitação do projeto foi aprovada no dia 24 de janeiro, a empresa escolhida para comandar os trabalhos foi a Tecnologia em Construções Ltda. (Tecom).
A presidente da República, Dilma Rousseff liberou, em junho de 2012, R$ 21 milhões para a reforma do estádio que será um dos Campos Oficiais de Treinamentos (COTs) da Copa do Mundo da Fifa de 2014, em Manaus, mas o valor total da obra deve ficar em R$ 16 milhões. A reforma da Colina seguirá todas as exigências da entidade máxima do futebol. Com capacidade para receber 10 mil pessoas, com 200 vagas de estacionamento e acessos exclusivos para jogadores, imprensa e público. O gramado também seguirá os mesmos padrões da Arena da Amazônia.

Os recursos para a reforma do estádio, pertencente ao São Raimundo, que consistirá em um dos legados deixados pela Copa do Mundo em Manaus, serão liberados via Ministério dos Esportes pela Caixa Econômica Federal, que analisou o projeto.


Pesquisas de José Augusto de Melo Rocha Filho, de Manaus/AM; e Sidney Barbosa da Silva
Fonte das Informações: www.saorai.com.br, acessado em dezembro/2004; www.acritica.uol.com.br; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 25/Abril/2006 - atualizada em 18/Junho/2019.

 

Campeões de todos os esportes do mundo