AceOdds últimos códigos promocionais de apostas

Desastre da equipe do Manchester UnitedO Manchester United FC tem, como os principais clubes do mundo, um calendário recheado de datas importantes para a sua história. A 29 de Maio de 1968, por exemplo, tornou-se no primeiro clube inglês a vencer a Taça dos Clubes Campeões Europeus, quando venceu, em Wembley, o Benfica (com Eusébio e companhia), por 4 a 1. E quem poderia esquecer o dia de 26 de Maio de 1999? Nesse dia, numa das mais dramáticas finais da Copa dos Campeões, o Manchester United marcou por dois gols nos descontos do segundo tempo, numa "virada" histórica sobre o Bayern de Munique que vencia por 1 a 0 conquistando desta forma o título europeu.

Mas este excepcional clube teve uma data trágica em sua longa história: 06 de fevereiro de 1958.

Tal como os dias de hoje, o Manchester brigava pela conquista do titulo europeu de clubes campeões e voltava, de avião, da extinta Iugoslávia, onde havia enfrentado a equipe FK Crvena Zvezda, em jogo de volta das quartas de final, empatando por 3 a 3 e garantindo a classificação já que havia vencido a primeira partida por 2 a 1.

A equipe dirigida por Matt Busby era tão talentosa e admirada com os seus jovens garotos que recebia o apelido de "Busby Babes (em alusão ao treinador escocês). Também era apontada como uma das grandes favoritas a levar o titulo daquele ano e tinha uma média de 24 anos. O jovem Edwards era o grande destaque do clube.

O Desenrolar da tragédia
Após a partida, foi servido um banquete aos atletas de ambos os clubes no Hotel Majestic, em Belgrado, e, quando se apagaram as luzes e os empregados do restaurante trouxeram as sobremesas com velas acesas, toda a equipe do Manchester United se levantou "liderada pelo capitão Roger Byrne" e cantou "We'll Meet Again" (Voltaremos a nos encontrar). Depois, Busby levantou-se e disse: "Venham nos visitar. As portas de Old Trafford estarão sempre abertas para vocês". Mas, cruelmente, os acontecimentos do dia seguinte fizeram com que muitos dos membros da delegação do Manchester United jamais voltassem a atuar em seu estádio.

O Avião
Era um modesto BEA Elizabethan G-ALZU movido a hélice, não tinha capacidade suficiente de combustível para voar diretamente entre Belgrado e Manchester, pelo que aterrissou em Munique para um reabastecimento. Como era esperado nesta altura do ano, grande parte da Europa estava com o mau tempo (inverno) e, apesar de em Belgrado nevar ligeiramente, as condições em Munique eram bem mais complicadas. Durante a aterrissagem, muitos dos passageiros repararam a grande quantidade de neve que as rodas do avião levantava.

O Desastre
Destroços do aviãoDepois de ter desfrutado de uma bebida quente no "lounge" do aeroporto, toda a comitiva regressou ao avião, mas a primeira tentativa de decolagem foi abortada quando o painel de instrumentos da aeronave assinalou um problema num motor. Uma segunda tentativa foi também interrompida no meio da pista. Às 14h04 (horário local), o avião teve uma decolagem bem-sucedida. Após ter passado um ponto sem-retorno do aeroporto, um dos motores perdeu subitamente potência e o avião deslizou sem controle ao longo da pista, atravessando a rede do perímetro do aeroporto até parar, depois de bater numa casa abandonada e em várias árvores.

As vítimas
Os bombeiros não demoraram mais que alguns segundos a chegar, mas já era tarde para salvar os jogadores Byrne, Geoff Bent, Eddie Colman, Mark Jones, Duncan Edwards, David Pegg, Tommy Taylor e Liam Whelan. Perderam igualmente a vida os treinadores adjuntos Bert Whalley e Tom Curry e ainda o secretário-geral Walter Crickmer, jcom dois membros da tripulação, oito jornalistas e mais dois passageiros. Miraculosamente, 16 pessoas sobreviveram, incluindo Busby, que ficou gravemente ferido, e um jovem chamado Bobby Charlton e o incomparável Edwards. O Manchester foi assim reduzido a uma eterna memória.

Com uma notável força, tanto física como de carácter, Busby e o Manchester United foram se recuperando aos poucos. Em 1968, dois gols de Bobby Charlton contribuíram para a conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus que muitos consideram ter chegado com 11 anos de atraso. Com outro treinador escocês à frente, o Manchester United viria 31 anos mais tarde, em Barcelona, a conquistar novamente o troféu.

São datas inesquecíveis mas nenhuma delas com maior lembrança para o Manchester United do que aquele trágico dia de Fevereiro de 1958.


Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva.
Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br
Página adicionada em 10/Fevereiro/2008.