Arquivo
   Especiais
   + Futebol
Clube do Remo Clube do Remo
Fundado em 05 de fevereiro de 1905
Endereço: Avenida Nazaré, 962 - Bairro de Nazaré
Belém/PA CEP 66035-170
Estádio Evandro Almeida (Baenão)
Site oficial: www.clubedoremo.com.br
  História   |   Títulos   |   Hino   |   Presidentes   |   Diversos             + CLUBES
História do Clube do Remo
  História   |   Estádio   |   O Título da Série C   |   Arquivo
A Fundação

No início do século XX, o remo era o principal esporte praticado no Pará. As disputas náuticas ocorriam na baía do Guajará. Entre as melhores equipes do Estado estava o Sport Club do Pará.

Momentos antes da realização de uma regata, um grupo formado por Raul Engelhard, Victor Engelhard, Eduardo Cruz, Vasco Abreu, Eugênio Soares, Narciso Borges e José Henrique Danin, se desentendeu com outros integrantes do Sport Club do Pará e resolveram criar um novo clube. Os sete dissidentes logo contaram com o apoio de outras esportistas, os quais fundaram, no dia 5 de fevereiro de 1905, o Grupo do Remo.

O nome da nova agremiação foi proposto por Raul Engelhard. No entanto, a denominação não foi bem aceita pois, na época, a palavra “remo” lembrava a “catraia”, uma pequena embarcação movida a vela ou a remo e tripulada por um só homem. Raul explicou a sua sugestão aos demais companheiros lembrando-se do Rowing Club, da Inglaterra, que conhecera quando estudava na Europa.

Uma data importante para o novo clube foi 16 de abril de 1905. Esse dia marcou a inauguração da quilha de sua primeira embarcação, uma baleeira, que foi construída nos estaleiros J. M. Nunes, no Beco do Carmo. A embarcação media 9 metros de comprimento, por 1,10 metros de largura, tendo 1,10 metro boca por 50 centímetros de pontal.

Os estatutos sociais do Grupo do Remo foram publicados no Diário Oficial do Estado, ano XV, nº 4049, de sexta-feira, 9 de junho de 1905. A publicação trazia os nomes dos fundadores: José Henrique Danin, Raul Engelhard, Roberto Figueiredo, Antônio La Roque Andrade, Vitor Engelhard, Raimundo Oliveira da Paz, Antônio Borges, Arnaldo R. de Andrade, Manoel C. Pereira de Souza, Ernestino Almeida, Alfredo, Vale, José D. Gomes de Castro, José Maria Pinheiro, Luiz Rebelo de Andrade, Manoel José Tavares, Basílio Paes, Palmério T. Pinto, Eurico Pacheco Borges, Narciso F. Borges, Heliodoro de Brito.

No dia 1º de outubro, o clube inaugurou a sua sede, localizada na Rua Siqueira Mendes, às margens da baía do Guajará. A sede foi alugada junto à Intendência Municipal. Na ocasião, foi inaugurada também a primeira embarcação, denominada “Tibiriçá”.

Em 1907, o Remo já possuía 9 embarcações, entre elas um out-riggers a 4 remos e um out-riggers a 2 remos importados da Alemanha por seus sócios que traziam da Europa o que de mais moderno havia na prática do esporte.

Extinção e reorganização

Após três anos de existência, em 1908, o clube passou pela sua primeira grande crise, pois seus integrantes não conseguiram renovar o contrato de aluguel da sede com a Intendência Municipal. Em reunião realizada no dia 14 de fevereiro foi decretada a extinção do clube.

Precisaram-se mais três anos para que um grupo formado por Oscar Saltão, Antonico Silva, Geraldo da Mota (Rubilar), Jaime Lima, Cândido Jucá, Harley Collet, Nertan Collet, Severino Poggy, Mário Araújo, Palmério Pinto e Elzeman Magalhães decretasse sua reorganização do Grupo do Remo em 15 de agosto de 1911.

Durante o período de extinção do clube, as embarcações foram guardadas em um galpão no Terminal de Inflamáveis de Miramar, de propriedade de Francisco Xavier Pinto, e, após a reorganização, foram transportadas até a antiga sede. A partir daí, teve início o planejamento para o primeiro campeonato que viria ser disputado em novembro e que resultou no primeiro título do clube na regata paraense.

Em reunião realizada no dia 26 de dezembro de 1911, o associado Oscar Saltão propôs que o nome Grupo do Remo fosse readaptado para Clube do Remo. A proposta de Saltão só foi aprovada pela Assembleia Geral em 7 de agosto de 1914, sendo a aprovação anunciada pelo presidente Nilo Pena.

1913 – O futebol para o Clube do Remo

Foi 1913 que o futebol nasceu no Clube do Remo, na época Grupo do Remo, com o time entrando em campo pela primeira vez, quando empatou em 0 a 0 com o Guarany, que o desafiou para o amistoso no dia 21 de abril, feriado nacional em homenagem a Tiradentes. O jogo foi disputado em São Braz, no local da Praça Floriano Peixoto. O time remista usando camisas com listras horizontais em azul marinho e branco, teve a seguinte escalação: Bernadino; Varrelman e Eurico; Dudu, Aimeé e Mamede; Galdino, Mário Antonico, Adolfo e Rubilar.

O primeiro gol da história centenária do futebol remista foi marcado por Rubilar, no segundo jogo, em goleada de 4 a 1 sobre o mesmo Guarany. A partida foi realizada no dia 13 de maio de 1913, em comemoração à abolição da escravatura no Brasil. A vitória azulina destacou vários comentários pela imprensa como este: “É-me grato registrar que o campo se achava devidamente calcado e marcado de acordo com as regras do jogo britânico, e mais ainda que os jogadores mostraram-se verdadeiros sportmen obedecendo fielmente às decisões do referee, não havendo, durante o jogo um foul sequer”.

Com a organização do futebol no estado, o Grupo do Remo promoveu a estreia de sua equipe na competição promovida pela Liga Paraense de Foot-Ball, jogando e vencendo o quadro do União Esportiva, por 4 x 1, na data de 14 de julho de 1913. Primeira equipe oficial: Benardino; Galdino e Lulu; Carlito, Aimeé e Chermont; Rubilar, Antonico, Nahon, Infante e Dudu. O Remo sagrou-se campeão paraense invicto de futebol na temporada de 1913. Esse era o primeiro de sete títulos seguidos, um feito inédito, até hoje, no futebol do Pará em todos os tempos.

No dia 14 de junho de 1914 foi realizado o primeiro Re-Pa da história e deu Leão: 2 x 1. Os gols do Remo foram marcados por Rubilar e Bayma (Paysandu, contra). Mateus anotou o tento dos bicolores. O jogo marcou a inauguração do estádio da firma Ferreira & Comandita.

Com o passar do tempo o esporte foi caindo no gosto popular. Já se percebia talentos diferenciados entre alguns atletas e pelo Brasil começavam a se formar grandes equipes. No Pará já estava sendo disputado o Campeonato Paraense de Futebol até então comandado pela Liga Paraense de Foot-Ball.
  História   |   Estádio   |   O Título da Série C   |   Arquivo
Fonte das Informações: "A História do Clube do Remo" (Ernesto Cruz), Clube do Remo, Loucura Azul, www.noronha.pro.br/remo/index.htm; Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br, Enciclopédia do Futebol Paraense, Livro Leão Azul Centenário e jornal O Liberal (edição de 21 de abril de 2010).
Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva e Felipy Chaves dos Santos
Página adicionada em 21 de março de 2010 - revisada em 02 de agosto de 2013.
  História   |   Títulos   |   Hino   |   Presidentes   |   Diversos             + CLUBES
Pesquisa personalizada
comments powered by Disqus
Escudo do Remo - esportes náuticos
Escudo dos esportes náuticos do Remo




Leão - Mascote do Remo
Leão - O Mascote




Camisa do Remo de 2001
Utilizada em 2001




Camisa do Remo de 2007
Utilizada em 2007
no 2° semestre




Camisa N° 1 do Remo de 2010
Utilizada em 2010
Arquivo Campeões do Futebol - www.campeoesdofutebol.com.br - Desenvolvido e mantido por Sidney Barbosa da Silva - Desde 2005
* Permitido a reprodução de todo conteúdo desde que citada a fonte e o Autor/Pesquisador