Bellarmino Paraense de Barros, reeleito por 10 vezes
Bellarmino Paraense de Barros, reeleito por 10 vezes

O clube rubro-negro de Macapá foi fundado como Trem Esporte Clube Beneficente no primeiro dia do ano de 1947, no bairro de mesmo nome (o terceiro bairro surgido em Macapá) e onde residiam famílias com prole numerosa. É um dos mais antigos do estado do Amapá, o que faz do clube um dos mais queridos e tradicionais do estado. Porém, nunca seus fundadores o chamaram de locomotiva.

Sabe-se que o grupo de entusiastas, e a idéia de que fosse fundado o clube, foi ganhando corpo a partir da convivência entre vários trabalhadores do antigo Território Federal do Amapá, residentes no bairro que também começava a ser formado.

Bellarmino Paraense de Barros, nascido em Belém/PA, no dia 26 de junho de 1921, narrou alguns fatos se posicionando como testemunha ocular da trajetória do clube. Citou como fundadores, além dele, Osmar Marinho, e seu irmão Arthur Marinho. Osmar, além de ajudar fundar, dirigiu e foi por muitos anos o fotografo oficial do clube. Junto a eles, ainda estavam Benedito Malcher, Walter e José Banhos, além de outros. Bellarmino foi eleito presidente e reeleito em 10 eleições consecutivas.

No decorrer dos anos o clube esteve presente não só na vida esportiva do Amapá, como também social, realizando diversos concursos de Beleza, como o Miss Amapá e o Baile Rainha das Rainhas do Carnaval Amapaense.

Nos anos 50, na cidade de Macapá, surgiu o Cine Trianon, de propriedade de Guilherme Cruz, que funcionou por pouco tempo na sede velha do Trem Desportivo. O primeiro filme exibido foi "O Homem de Oito Vidas", da produtora japonesa RKO.

Em 18 de junho de 1959, o Tricolor das Laranjeiras - Fluminense Football Club - fez uma excursão ao Amapá. Em um dos jogos enfrentou o Trem. Era 18 de junho de 1959, o estádio de Glicério Marques foi o palco para a peleja, porém duas anormalidades ocorreu em campo: a expulsão de um jogador meio-campo do Trem e a anulação de um possível gol do jogador Maracá (Fluminense) que ficou inválido por ele estar em posição de impedimento, o que foi contrariado pelos dirigentes cariocas, mas acabou sendo nulo pelo juiz da partida, que era o desportista Wilson Sena. A partida encerrou com vitória para o Tricolor carioca em 2 x 0. Veja A excursão do Fluminense no Amapá.

Em 1973 o clube passou por uma grave situação financeira pois recebeu a notícia de que não mais receberia recursos federais - já que o Trem vivia quase que exclusivamente desses recursos -, proveniente da Loteria Esportiva, por má aplicação de sua cota. Começaria aí, os momentos de dificuldades do clube.

O futebol profissional e os momentos de dificuldade

Com a implantação do profissionalismo em 1991, o Trem passou a enfrentar diversas dificuldades. Ficou afastado do campeonato amapaense de 1995 a 1998, retornou em 1999, ficando na penúltima colocação, e afastou-se novamente de 2000 a 2002. Nesse período ensaiou a possibilidade do seu retorno em 2001, mas preferiu esperar um pouco mais e continuou trabalhando no seu projeto de restauração do clube. Desde 2003 participa sem interrupção do campeonato amapaense.

O clube enfrentou grandes dificuldades financeiras nos últimos anos, mais de 400 processos judiciais em várias frentes (promotoria de defesa do consumidor, justiça comum, justiça do trabalho e juizado especial de pequenas causas), todos reclamando dívidas, os quais orçavam aproximadamente 450 mil reais, tendo pago mais da metade, e ainda com pendências em torno de 220 mil reais, em conseqüência de desastrosas administrações, mas pretende agora dar um mergulho por mares mais saudáveis e executar um projeto, visando resolver as pendências ainda existentes, com modificações e modernização do seu patrimônio.

Apesar de ser uma das forças no estado, o clube só tem cinco títulos estaduais, mas fora do estado é o maior campeão do almejado título do Copão da Amazônia, com seis conquistas.

Participações em competições nacionais

Copa do Brasil: 1993, 2008, 2011 e 2012.
Brasileiro Série C: 2004.
Brasileiro Série D: 2011.


Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva; e Rafael de Paula da Silva
Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br; www.trem-minhapaixao.com.br, acessado em 2008; www.fafamapa.com.br; e Revista Placar (1973).
Página adicionada em 27 de janeiro de 2013.

 

Shopping Campeões do Futebol