AceOdds últimos códigos promocionais de apostas

HISTÓRIA E CAMPEÕES DA 1ª DIVISÃO DA SÉRVIA E MONTENEGRO


Federação da Sérvia e MontenegroFudbalski Savez Srbije i Crne Gore - Em inglês: Football Association of Serbia and Montenegro
Fundada em 15 de abril de 1919 (fundação vem da extinta Ioguslávia)
Afiliada Fifa desde 1921 - UEFA desde 1954
Endereço: Terazije 35, 11000 Beograd - Sérvia
Site: http://www.fsj.co.yu/, não mais existe, pois a federação unificada está extinta.


1ª Divisão Copa Sérvia e Montenegro   + NACIONAIS

 



O campeonato da Servia & Montenegro é o sucessor da extinta Iugoslávia. Existiu entre a dissolução da Iugoslávia e a independência de Montenegro.

No ano de 2006 foi disputado a última edição do campeonato que unia os dois países, sendo extinto, para a criação de duas ligas (países) diferentes: a Liga da Servia e a Liga de Montenegro.

Em 30 de junho de 2006, a UEFA postava a seguinte nota sobre a Federação da Sérvia e Montenegro (por Aleksandar Boskovic, de Belgrado):

Adeus Jugoslávia
Na quarta-feira desta semana, 28 de Junho (de 2006), foram dissolvidos os derradeiros vestígios futebolísticos da Jugoslávia, quando, numa reunião da direção da Federação Servo-Montenegrina de Futebol (FSSCG), realizada em Belgrado, a federação comum foi dissolvida, dando de imediato espaço a duas federações distintas: A Federação Sérvia de Futebol (FSS) e a Federação Montenegrina de Futebol (FSCG).

Sucessora oficial
Em termos desportivos, a FSS será a sucessora oficial da FSSCG, formada em 2003, quando a Jugoslávia deixou de existir.
Apenas 87 anos desde a fundação, em Abril de 1919, da Federação Jugoslava de Futebol, todas as suas antigas repúblicas têm, agora, a sua federação de futebol, o que coloca um ponto final nessa história comum.

Referendo
A FSCG aguarda, agora, o reconhecimento pela Organização das Nações Unidas de um novo Estado do Montenegro. Só depois candidatar-se-á à admissão na FIFA, assim como na UEFA. A maioria dos montenegrinos votou pela independência no referendo levado a cabo a 21 de Maio passado, pelo que os responsáveis futebolísticos se limitaram a seguir a vontade política das respectivas nações.

Dia especial
Do ponto de vista sérvio, o dia 28 de Junho tem um significado especial, uma vez que coincide com um feriado ortodoxo, que assinala a batalha medieval entre os Estados sérvios e os invasores otomanos. O triunfo destes marcou o início de uma colonização turca da região, que durou seis séculos, mas a esperança dos sérvios é que o dia 28 de Junho passe, a partir de agora, a ser relembrado por razões mais positivas.

Mudanças
O primeiro presidente da FSS, Zvezdan Terzic, que terá um mandato válido até Janeiro de 2009, nomeou como secretário-geral Miroljub Rajic. Mas ainda há vários assuntos por resolver. A mudança de Jugoslávia para Sérvia e Montenegro e, agora, para dois países diferentes foi tão rápida que tanto a bandeira como o hino permaneceram inalterados desde os anos 90. Foi necessária uma solução, tarefa que foi deixada nas mãos das novas autoridades futebolísticas dos respectivos países.

Novo hino
Como consequência, o hino nacional do antigo Estado, “Hei Sloveni” (Hey Eslavos), jamais voltará a ser cantado. De acordo com os jogadores e adeptos, não refletia o espírito nacional sérvio e era largamente desrespeitado, tanto em casa como fora.

O novo hino, “Bože pravde” (Deus É Justo), será cantado pela primeira vez, a 16 de Agosto, em Praga, antes do início do jogo particular com a República Checa, e muitos adeptos já disseram que assistirão ao encontro ao vivo apenas para ouvirem e entoarem o novo hino. Em Belgrado, tocará pela primeira vez a 2 de Setembro, quando a Sérvia defrontar o Azerbaijão, em jogo de qualificação para o UEFA EURO 2008, de cujo grupo também faz parte Portugal.

Todavia, como esse encontro se efetuará à porta fechada, na sequência dos incidentes verificados quando do jogo da fase de apuramento para o Mundial, frente à Bósnia-Herzegovina, a maior parte dos sérvios terá de esperar até 7 de Outubro, quando receberem a Bélgica.

“Desvantagem psicológica”
“Começávamos sempre os jogos em desvantagem psicológica. Enquanto todas as outras seleções cantam os seus hinos e partem para os encontros cheios de motivação, nós começávamos em baixo – os assobios por todo o lado davam cabo de nós enquanto jogadores”, comentou Savo Milosevic, o capitão que deixou a seleção após o Mundial, depois de ter somado 101 internacionalizações.

“Orgulho”
O médio do Olympiacos CFP, Predrag Djordjevic, e o defesa do Sevilla FC, Ivica Dragutimovic, decidiram prolongar o seu contributo à seleção apenas para que possam jogar pelo novo país e ouvirem o novo hino, e vários outros jogadores da equipe partilham esse sentimento. “Fico feliz pelo início de uma nova era. Não ouvirei o novo hino no relvado, pois deixei a seleção, mas sei o orgulho com que os meus companheiros aguardam pelas novas notas”, afirma Milosevic.

“Águias Brancas”
As diferenças entre o novo país e o antigo acentuar-se-ão com a mudança das cores nacionais e mesmo na alcunha da equipe. “Plavi” (Azuis) simplesmente refletia a cor das camisas, mas estas vão passar a ser vermelhas, com calções azuis e meias brancas. Já o equipamento utilizado nos jogos a efectuar fora de casa será branco, o que se aproxima mais da nova alcunha, “Beli Orlovi”, ou “Águias Brancas”, que aparecem nos novos símbolos sérvios. Por enquanto, a nova federação situar-se-á nas instalações da anterior, em Belgrado, mas a construção de uma nova “casa do futebol” está no topo das prioridades.

Novo selecionador
Inevitavelmente, os pensamentos viram-se, também, para o que se sucede dentro do relvado. O selecionador Ilija Petkovic demitiu-se do cargo, na sequência da decepcionante campanha no Mundial da Alemanha, mas há muita gente com a ambição de ser o primeiro selecionador do novo país. Seja quem for, as esperanças dos sérvios estarão depositadas em jogadores como Danko Lazovic, do Bayer 04 Leverkusen, e da dupla do FK Crvena Zvezda, composta por Vladimir Stojkovic e Dusan Basta, que concluíram o Campeonato da Europa de Sub-21 de há dois anos, na Alemanha, na segunda posição e que, este ano, chegaram às meias-finais do mesmo Europeu, desta feita em solo português.

Corrida a dois
Quanto à Liga do novo país, esta ficará reduzida a 12 clubes, o que implicará a reestruturação da competição, assim como de todo o calendário desportivo. Nos últimos anos, a luta pelo título tem-se resumido aos candidatos crónicos, FK Partizan e Estrela Vermelha, mas o desejo é que se expanda para além dos limites da capital, que, por seu turno, conta com 60 por cento dos clubes da I Divisão. Neste âmbito, a aplicação rigorosa do sistema de licenciamento de clubes da UEFA será determinante para o futuro do futebol na Sérvia.

Observações CF: Em 1999 o campeonato foi suspenso, porém a federação declarou o Partizan, que liderava o campeonato, campeão e a equipe Obilic Beograd, que estava em segundo na pontuação, vice campeão.

A equipe Crvena Zvezda é popularmente conhecida, no Brasil, como Estrela Vermelha.

Partizan
Partizan
(Beograd)
08 Titulos
Estrela Vermelha
Crvena Zvezda
(Beograd)
06 Titulos
Obilic
(Beograd)
01 Título
Ano Campeão Vice
2006 Crvena Zvezda Partizan Beograd
2005 Partizan Beograd Crvena Zvezda
2004 Crvena Zvezda Partizan Beograd
2003 Partizan Beograd Crvena Zvezda
2002 Partizan Beograd Crvena Zvezda
2001 Crvena Zvezda Partizan Beograd
2000 Crvena Zvezda Partizan Beograd
1999 Partizan Beograd Obilic Beograd
1998 Obilic Beograd Crvena Zvezda
1997 Partizan Beograd Crvena Zvezda
1996 Partizan Beograd Crvena Zvezda
1995 Crvena Zvezda Partizan Beograd
1994 Partizan Beograd Crvena Zvezda
1993 Partizan Beograd Crvena Zvezda
1992 Crvena Zvezda Partizan Beograd

Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva.
Fonte: UEFA Magazine, acessado em 30/Junho/2006; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 21/Dezembro/2006 - atualizada em 25/Março/2021.