AceOdds últimos códigos promocionais de apostas

A primeira reunião de fundação do Operário Futebol Clube aconteceu na sede do Sindicato dos Operários da Construção Civil, localizada à rua Maracajú . Lá estavam "Seu Vitor", o anfitrião, Miguel Turco, Carandá, Magno, os irmãos Levindo, Gregório e Paulo Ferreira. A intenção era apenas criar uma alternativa para reunir os trabalhadores, mas a idéia ganhou a simpatia de outras classes, entre elas o fazendeiro Melanio Barbosa, que fazia questão de chegar cedo ao estádio Campo-grandense.

Operário FC (MS) em 1938
Equipe do Operário em 1938.

O clube se profissionalizou na década de 70 e em 1974 conquistou seu primeiro título estadual no profissionalismo. veja » A campanha do título.

Em 1977, o Operário escreveu seu nome na história do futebol brasileiro, desclassificando o "poderoso Palmeiras" para chegar às semifinais do Brasileirão. O Operário venceu a primeira partida contra o São Paulo por 1x0 gol marcado por Tadeu Santos, e perdeu a segunda no Morumbi por 3x0. Começava aí, a historia do Supertime do, até então, Estado do Mato Grosso, 3° colocado no Campeonato Brasileiro. Manga, grande goleiro da Seleção Brasileira e campeão brasileiro pelo Internacional em 1975 foi um dos grandes responsáveis pela boa campanha do clube. veja » A campanha no Brasileirão de 1977.

O mundo passou a conhecer o esquadrão do futebol, agora, do Mato Grosso do Sul em 1982. O "poderoso Bayern de Munique", assistiu o Operário conquistar a Presidente Cup (na Coréia do Sul). Talvez o Torneio mais importante da história do Clube.

Os grandes idolos e jogadores mais conhecidos da imprensa brasileira que atuaram no clube foram: Manga (Seleção Brasileira), Arturzinho que atuou no Corinthians, Luis Carlos que jogou na Seleção Brasileira e Flamengo. Everaldo, Baianinho, Roberto César e muitos outros. O clube foi um verdadeiro celeiro e revelador de craques no final da decada de 70 e inicio dos anos 80.

O Operário tambem é o detentor da maior goleada dos campeonatos estaduais do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Em 1978, pelo matogrossense, venceu o Barra do Garças por 13 a 0 e, em 1980, pelo sulmatogrossense, a vítima foi o Taveirópolis - 11x0.

Anos difíceis

Em 2007, atolado em dívidas trabalhistas e com o fisco, o Operário já perdeu parte da sua sede administrativa em leilão promovido pela justiça do trabalho. Para evitar o constrangimento do confisco de rendas nos dias de jogos e ganhar uma opção de receita pela venda de ações, o clube entrou na onda do futebol empresa e criou, em 29/11/1999, o Operário Sociedade Anônima, mas nada mudou na prática e foi extinguido em 2006.

Em 2007, o Presidente, Antônio Vieira da Cunha, tem sob sua responsabilidade, a tarefa quase que impossível de trazer de volta a dignidade perdida de uma das maiores surpresas do futebol do Brasil, mas em vão.

No século novo, o clube passou por um período de ostracismo, até a chegada de 2008. Uma nova parceria que deu esperança para a torcida operariana. Com jogadores como Macedo (ex-São Paulo) e Anderson Lima (Seleção Brasileira), além de ser patrocinado por uma grande fornecedora de material esportivo, deu condições para que o clube tivesse a oportunidade de uma vitoriosa campanha no brasileirão da Série C, mas infelizmente o time não passou da primeira fase.

Em 2009, com uma campanha fraca com 2 vitórias, 1 empate e 13 derrotas o clube é rebaixado para a Série B do estadual pela primeira vez em sua história.

No ano seguinte faz uma boa campanha na Série B, mas termina em terceiro lugar na classificação ficando de fora da zona de acesso. No entanto, por conta da desistência do Costa Rica Esporte Clube de disputar a Série A em 2011, o Operário herda a vaga e retorna para a primeira divisão.

O ano de 2011 sem planejamento nenhum de sua diretoria toda esfacelada a equipe sem organização marca negativamente a história gloriosa do clube com um novo rebaixamento. Uma campanha pífia no estadual (duas vitórias em 14 jogos) e vários incidentes extra campo. O clube foi punido pela Federação de Futebol com a perda de seis pontos na tabela por escalação irregular de um jogador.

O presidente em exercicio na época Toni Vieira procurou o Ministério Público Estadual para denunciar supostas irregularidades de dois adversários. A reação da Federação foi imediata: suspensão das competições oficiais por dois anos. Segundo a entidade, o Operário contrariou o regulamento ao procurar a justiça comum para solucionar conflitos.

Em 2012 o clube sem apoio financeiro não disputou a competição da série B, além das brigas e problemas políticos com a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul. Em 2013 o Operário Futebol Clube voltou aos gramados por insistência de seus torcedores e das torcidas organizadas Garra Operariana & Esquadrão Operariano.

Em 2015, com o vice campeonato na segunda divisão estadual, o Operário retorna para a elite do futebol sulmatogrossense de 2016.

Porém como todo clube de massa, o Operario, briga, luta e, com certeza, ainda voltará a ser aquele clube que encantou o Brasil, os Asiaticos e fez do Bayern de Munique, um simples e mero espectador ao titulo da Presidente Cup.


Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br; www.operario.com.br; www.operariofutebolclubems.com.br.
Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva e Rafael de Paula da Silva
Página adicionada em Dezembro/2005 - atualizada em 30/Maio/2021.