FUNDAÇÃO
O Cruzeiro Esporte Clube foi fundado em 2 de janeiro de 1921 por desportistas da colônia italiana de Belo Horizonte com o nome de Societá Sportiva Palestra Itália. As cores adotadas foram as mesmas da bandeira italiana: verde, vermelho e branco. O primeiro uniforme do clube foi camisa verde, calção branco e meias vermelhas.

O clube foi restrito apenas à participação de elementos da colônia até o ano de 1925, quando abriu as portas para desportistas de qualquer nacionalidade.

Primeira Partida
O primeiro jogo do Palestra aconteceu no dia 3 de abril de 1921, no estádio do Prado Mineiro, cerca de 1500 pessoas estiveram presentes para assistir o jogo. O Palestra venceu por 2 a 0 um combinado formado por jogadores de dois times de Nova Lima ( Villa Nova e Palmeiras), com gols do atacante João Lazarotti, conhecido por Nani. Porém, a primeira apresentação oficial da nova equipe ao público foi em um jogo contra o Atlético-MG. Vitória Palestrina por 3 a 0. A equipe era composta por Nullo, Henriqueto e Polenta; Grande, Gallo e Checchino; Pederzoli, Parizi, Nani, Attílio e Armandinho.

Classe trabalhadora
Além de se caracterizar como uma equipe de descendentes de italianos, o Palestra também se destacava por possuir elementos da classe trabalhadora de Belo Horizonte. No corpo social do Palestra prevaleciam homens da profissão de pedreiros, policiais, pintores, comerciários e marceneiros, que eram os filhos dos imigrantes que vieram construir a capital do estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, em 1894, e que herdaram de seus pais a mesma profissão.

Abaixo, uma das equipes do Palestra Itália (1923)
Equipe do Cruzeiro em 1923

Mudança de Nome
Em janeiro de 1942, o Brasil entrou na 2ª Guerra Mundial e um decreto lei do governo federal impediu o uso de termos das nações inimigas em entidades, instituições, estabelecimentos, etc. Com isso, o nome Itália foi retirado e a diretoria e os sócios do clube levaram 10 meses para criarem um nome e um novo símbolo para o clube que fosse totalmente brasileiro. Em outubro, um consenso dos diretores aprovou o nome Cruzeiro Esporte Clube por ser a constelação do Cruzeiro do Sul o maior símbolo da pátria brasileira. O uniforme também mudou para camisa azul, calção e meias brancas. Antes de se tornar Cruzeiro, o clube se chamou Palestra Mineiro, nome criado em 30 de janeiro de 1942. Também se chamou Ypiranga em apenas uma partida, no dia 07 de outubro de 1942, quando perdeu para o arqui-rival Atlético.

Sequência de Títulos
Na década de 1990 o Cruzeiro iniciou uma impressionante sequência de 15 anos ganhando pelo menos um título por ano. Foram duas Supercopas da Libertadores (1991 e 1992), uma Recopa Sul-Americana (1998), quatro Copas do Brasil (1993, 1996, 2000 e 2003), uma Copa Ouro (1995), uma Copa Master da Supercopa (1995), duas Copas Sul-Minas (2001, 2002), oito Campeonatos Mineiros (1990, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 2003, 2004) uma Copa Centro-Oeste (1999), duas Copa dos Campeões Mineiros 1991,(1999), um Supercampeonato Mineiro (2002), além da segunda Taça Libertadores da América (1997) e do Campeonato Brasileiro de 2003, o primeiro disputado por pontos corridos, em turno e returno.

Melhor do Brasil no Século XX
Em setembro de 2009, a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), entidade alemã reconhecida pela FIFA, apontou o Cruzeiro como o Melhor Clube Brasileiro do Século XX. O instituto levou em consideração a performance dos clubes do mundo em competições organizadas pelas federações continentais.

É TETRA!
Em 23 de novembro de 2014, faltando ainda duas rodadas para finalizar o campeonato, vence o Goiás por 2 a 1, e torna-se no primeiro clube fora do eixo Rio-SP a conquistar o Campeonato Brasileiro por quatro vezes. Ricardo Goulart abriu o placar aos 12; Samuel (para o Goiás) empatou aos 22, ambos os gols no 1° tempo; e Everton Ribeiro, aos 17 do 2° tempo fez o gol do título.

O jogo do título: CRUZEIRO 2 X 1 GOIÁS
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG); Data-hora: 23/11/2014 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC); Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Nadine Schramm Câmara Bastos (Fifa-SC)
Renda/Público: Não divulgados.
Cartões amarelos: Henrique (CRU); Tiago Real (GOI)
Gols: Ricardo Goulart, 12'/1ºT(1-0); Samuel, 22'/1ºT(1-1) e Everton Ribeiro, 17'/2ºT(2-1).

CRUZEIRO: Fábio, Mayke (Eurico, 45'/2ºT), Léo, Bruno Rodrigo, Egídio, Henrique, Lucas Silva (Nilton, 20'/2ºT), Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Willian e Marcelo Moreno (Júlio Baptista, 35'/2ºT) – Técnico: Marcelo Oliveira.

GOIÁS: Renan, Tiago Real, Jackson, Pedro Henrique, Felipe Saturnino (Lima, 20'/2ºT), Amaral, David (Wellington Júnior, 45'/2ºT), Thiago Mendes e Ramon (Esquerdinha, 37'/2ºT); Erik e Samuel – Técnico: Ricardo Drubscky.

REBAIXAMENTO
O dia oito de dezembro de 2019 está marcado na história do Cruzeiro. Após muitos anos de glórias, conquistas e títulos, o clube foi rebaixado pela primeira vez no Brasileiro da Série A, em meio a maior crise de sua história. Foram 38 partidas e 36 pontos ganhos, com 7 vitórias, 15 empates e 16 derrotas.

A derrota para o Palmeiras no Mineirão, seguida de protestos violentos da torcida, só confirmou um ano péssimo dentro e fora de campo para a Raposa. E para os otimistas, que achavam que com o rebaixamento o time poderia de certa forma ressurgir, o ano de 2020 guardava mais decepções.

Em 19 de maio, a Fifa comunicou a CBF de que a equipe mineira começará a Série B do Campeonato Brasileiro com menos seis pontos em relação aos seus rivais. E no dia 16 de janeiro de 2021, com a derrota frente o Juventude em Caxias do Sul por 1 a 0, o Cruzeiro torna-se na primeira grande equipe do Brasil a não conseguir o acesso em seu primeiro ano de Série B.

Grandes craques
Eduardo Gonçalves Andrade, o Tostão, foi o maior artilheiro e o maior jogador da história do clube. Em 378 partidas jogadas (de 1963 a 1972), fez 248 gols. Foi o primeiro atleta de um clube mineiro a disputar uma Copa do Mundo, em 1966.

Zé Carlos - José Carlos Bernardo chegou ao clube em 1966 vindo do Sport de Juiz de Fora/MG e foi o jogador que mais atuou pelo clube; em 628 partidas (de 1966 a 1977) fez 83 gols.

Dirceu Lopes Mendes começou a carreira no Juvenil do Pedro Leopoldo, de onde veio para o Cruzeiro em 1963. Atuou em 601 partidas fazendo 224 gols com a camisa do Cruzeiro. Nos profissionais atuou de 1964 a 1976.

MASCOTE
MascoteA Raposa como mascote oficial do Cruzeiro foi criada pelo chargista e professor Fernando Pieruccetti, conhecido como Mangabeira, em 1945. Características como a astúcia e a rapidez do animal foram atribuídas na época ao então presidente do clube celeste, Mario Grosso, conhecido pela sua esperteza nas negociações de jogadores.

Para simbolizar o ícone cinco estrelas, foi criado em 2003 o Raposão. Desde então, acompanhado do Raposinho e da mascote Raposona Salomé, o mascote faz a festa com a nação cinco estrelas nos jogos, visitas sociais e em eventos organizados pelo Cruzeiro.
Mascote

Uniformes
pela ordem: Utilizada em 2010; Utilizada entre 2003 e 2006; Década de 40; e Primeira camisa, ainda como Palestra Itália, em 1921
Camisa 20102003 a 2006 década de 40 Uniforme como Palestra Itália


Sidney barbosa da SilvaPesquisas de Sidney Barbosa da Silva
Fonte: www.cruzeiro.com.br e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br
Página adicionada em Setembro/2007; atualizada em 17/Janeiro/2021.