Historia da Copa do Mundo de 1930

Dominio argentino na Libertadores

Quando se trata de Copa Libertadores, as equipes argentinas são as que têm mais sucesso. Nos 60 anos de competição sul-americana, times da Argentina levantaram o troféu em 25 ocasiões, sendo o Independiente (7) o que mais venceu o torneio, seguido pelo Boca Juniors (6), e River Plate, que são os dois favoritos para vencer a Copa Libertadores deste ano - se você está em busca de uma aposta online - e o Estudiantes, que têm quatro títulos cada. Racing, Argentina Juniors, Vélez Sársfield e San Lorenzo venceram a competição uma vez cada.

Nos primeiros 20 anos do torneio (1960-1980), o troféu retornou à Argentina em 12 ocasiões. Em 1964, o Independiente foi a primeira equipe argentina a ter seu nome inscrito no troféu, ao derrotar o Nacional do Uruguai na final. O El Rojo defendeu o título em 1965, desta vez vencendo o Peñarol, que já havia vencido a competição duas vezes, na final.

O River Plate teve a chance de continuar a sequência de títulos argentinos em 1966. No entanto, perdeu para o Peñarol na final, e o título voltou ao Uruguai pela terceira vez em seis anos. Mas não por muito tempo, pois o Racing conquistou seu primeiro, e até hoje único título, em 1967, vencendo o Nacional na final, antes que o Estudiantes se tornasse o primeiro time na história do torneio a erguer a taça em três anos consecutivos (1968, 1969 e 1970).

Depois de perder as finais de 1964 e 1966, o Nacional finalmente venceu o torneio em 1971, derrotando o Estudiantes na final e, posteriormente, encerrando sua sequência de três anos de vitórias.

O que se viu a seguir foi um domínio do Independiente. De 1972 a 1975, o El Rojo venceu a competição todos os anos, tornando-se o primeiro, e até hoje o único time, a vencer a Copa Libertadores em quatro ocasiões consecutivas.

Em 1976, o River Plate alcançou sua segunda final da Copa Libertadores, eliminando o atual campeão Independiente em um mata-mata. No entanto, o Millonarios estaria do lado errado do placar novamente na final, já que perdeu dois dos três jogos para o Cruzeiro. A vitória da Raposa marcou a primeira vez, desde os triunfos consecutivos do Santos em 1962 e 1963, que o troféu foi conquistado por uma equipe brasileira.

O Cruzeiro esperava defender o título ao chegar à final novamente em 1977. No entanto, o Boca Juniors, do Buenos Aires, tinha outras idéias. Foi uma final incrivelmente parelha, com Xeneizes vencendo por 1 a 0 na capital argentina, antes de perder por 1 a 0 para a Raposa no Brasil. A terceira partida, que foi disputada em campo neutro, no Estádio Centenário do Uruguai, foi ainda mais acirrada, sem que nenhum dos times pudesse desfazer o zero do placar em 120 minutos. Com o jogo indo para os pênaltis, foi o Boca que segurou o nervosismo, vencendo por 5 a 4.

Os Xeneizes defenderam o título no ano seguinte, desta vez derrotando o colombiano Deportivo Cali na final. Com a final disputada agora em ida e volta, as duas equipes estavam de frente a frente no jogo de volta em La Bombonera depois de um empate por 0 a 0 no Estádio Pascual Guerrero, na Colômbia. No entanto, o Boca venceu por 4 a 0 e conquistou seu título em casa.

O Olimpia, do Paraguai, negou ao Boca Juniors o terceiro título consecutivo em 1979 e só voltou a ganhar o troféu em 2000, quando o conquistou quatro vezes em sete anos.

As equipes argentinas venceram a Copa Libertadores apenas cinco vezes entre 1980 e 2000, enquanto a conquistaram sete vezes desde a virada do milênio, com as vitórias do River Plate em 2015 e 2018 sendo seus triunfos mais recentes.


Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva
Página adicionada em 21/Dezembro/2020.

 

Livros Digitais Campeões do Futebol