A história da Libertadores 1963

A Copa Libertadores da América de 2018 retorna, após o fim da Copa, neste mês de agosto, com seis brasileiros na disputa das oitavas de final. São eles Flamengo, Corinthians, Santos, Palmeiras, Cruzeiro e Grêmio, que é o atual campeão da competição. E o fato de ter um campeão brasileiro na defesa do título é um excelente sinal para os times do país.

Com investimentos superiores às equipes de outros países e o talento inegável para jogar o esporte, o Brasil é o segundo maior campeão da Copa Libertadores, com 18 títulos. E eles têm um padrão, especialmente nas últimas décadas: há muitas sequências de anos com brasileiros como campeão.

Troféu da Copa Libertadores
Quando um brasileiro vence a Libertadores, parece que os outros brasileiros ficam com mais vontade

O Santos, primeiro campeão da Libertadores, venceu em 1962 e repetiu no ano seguinte. Essa sequência poderia ter sido maior se a equipe se interessasse pela competição, que chegou a abrir mão de disputar para rodar com Pelé e seus craques pelo mundo. O Cruzeiro venceu em 1976, mas não conseguiu repetir em 1977 (final contra o Boca Juniors), chegando muito perto: 1 a 0 para cada lado na ida e volta e no jogo de desempate, 0 a 0 e vitória dos argentinos nos pênaltis. O mesmo aconteceu com o Grêmio, que venceu em 1983, mas perdeu na final em 1984. O Flamengo em 1981 não passou das semis em 1982.

Porém, após essa falha em conseguir sequências, elas voltam com tudo nos anos 90. O São Paulo venceu em 1992 e 1993, batendo Newell’s Old Boys e Universidad Catolica nas finais, respectivamente. E essa sequência poderia ter sido maior, mas o time paulista perdeu nos pênaltis contra o Velez em 1994, antes do Grêmio vencer o Atlético Nacional em 1995.

Em 1997, 98 e 99, mais brasileiros. O Cruzeiro venceu sua segunda Libertadores, o Vasco sua primeira e o Palmeiras também. Em 2005 o São Paulo conseguiu sua terceira conquista, se tornando o maior vencedor brasileiro. E poderia ter sido tetra, mas o Internacional bateu o time do Morumbi e levou sua primeira taça em 2006. Mais uma sequência.

Por fim, o maior combo veio entre 2010 e 2013. O Internacional começou o trenzinho levando o bi, o Santos conquistou o tri, com Neymar de referência, o Corinthians finalmente conquistou a América em 2012 e o Atlético-MG também foi um campeão inédito em 2013.

Ou seja, desde 1997 que um campeão brasileiro na Libertadores é seguido por um vencedor do Brasil no próximo ano e em todas essas ocasiões recentes sendo um time diferente. Os torcedores do Grêmio estão loucos para que a sina da sequência continue, mas com uma pequena variável em relação a 97-98-99, 05-06 e 2010-11-12-13, com o tricolor gaúcho levantando a Copa pela quarta vez e segunda seguida.

Quem pode levar neste ano?

Como dito acima, os times brasileiros tem investimentos maiores e uma produção de jogadores quase em série. Por isso, é difícil que um time nacional não seja favorito em qualquer ano de disputa na Copa Libertadores.

Na edição 2018 dá para dizer que todos os seis times têm o necessário para avançar na competição e não será uma surpresa se três brasileiros chegarem às semifinais. A vida mais difícil é a do Santos, que pega o bom time do Independiente nas oitavas e depois enfrenta o vencedor entre Racing, uma das equipes que melhor jogou nesta Copa, ou o temido River Plate, nas quartas.

O Grêmio pega o Estudiantes, que, apesar de tradicional não tem um bom time, e depois o vencedor entre Atletico Tucumán e Atlético Nacional, que com certeza não é o mesmo esquadrão envolvente que venceu a Libertadores em 2016.

No outro lado da chave os brasileiros têm tudo para dominar. O Corinthians pega o Colo-Colo e o Palmeiras enfrenta o Cerro Porteño. Ambos devem passar e se enfrentar, rememorando os duelos históricos nas Libertadores de 1999 e 2000.

E Flamengo e Cruzeiro, dois dos melhores times do Brasil, como mostra a tabela do Brasileirão, já se enfrentam nas oitavas, garantindo um dos times nas quartas, onde o classificado deve pegar o Boca Juniors. Ou seja, duelos legais não faltam e os brasileiros tem total possibilidade de ir longe. E assim manter a sequência de campeonatos de times nacionais.