A EVOLUÇÃO DA BOLA DE FUTEBOL



O Início Origens Resumo Cronologia Evolução da Bola Fundação da FIFA O Futebol no Brasil

       

A bola na idade média

A bola de futebol na idade médiaNos tempos medievais, as bolas de futebol eram feitas de qualquer coisa que pudesse ser chutada. Este porta-vinho (foto ao lado) de couro antigo serviu para este fim muito bem.


Foi só no início da Idade Média, quando as primeiras bolas que repicavam foram inventadas, que o jogo se tornou um pouco mais parecido com o futebol que conhecemos hoje.

J.J. Jusserand, uma autoridade em história medieval tanto francesa quanto inglesa, afirma que o futebol de massa veio para a Inglaterra com a Conquista Normanda em 1066, já que os normandos tinham muitos jogos para relaxar e se divertir.

Certamente os franceses, e na Bretanha especificamente, jogavam uma forma de futebol de massa nos primórdios da idade média. Era conhecida como ‘La Soule’ ou ‘Choule’, mas a origem do nome não está clara. Pode originar-se de ‘sol’, ou ‘solea’, significando sola da bota, ou mesmo ‘choler’, chutar.

A bola era geralmente sólida, feita de couro ou madeira e, frequentemente, com enchimento de cabelo ou musgo. O objetivo era fazer gol – que podia ser um córrego ou uma árvore ou um muro – batendo nele com a bola.

Centenas de homens participavam, não havia regras verdadeiras e normalmente se transformava em um combate em massa. Era uma fúria tal que uma trilha de corpos ensangüentados e machucados era sempre deixada no rastro da luta pela bola. Afirma-se que, em certa ocasião, homens se afogaram quando perseguiam freneticamente a bola no mar durante um jogo e, numa outra vez, dizem que 40 homens se afogaram na lagoa em Pont l’Abbe. Tamanho era o dano aos indivíduos que mais de um rei francês proibiu o jogo.

Na Inglaterra, os aprendizes medievais jogavam uma forma grosseira de futebol pelas ruas das cidades, normalmente usando bolas feitas em casa, como frascos de vinho de couro cheios de algo como pedaços de cortiça. Esses grupos de jovens correndo pelas ruas da cidade chutavam, empurravam, conduziam e geralmente forçavam a bola até o gol. Na Inglaterra, também a monarquia, com freqüência, tentava parar tais atividades e, em 1365, o Rei Edward III decidiu proibir o futebol por razões militares – já que as tropas preferiam o jogo a lutar ou mesmo praticar seu arco e flecha.

Em algum momento desconhecido, alguém descobriu que as bexigas de porcos infladas eram boas para os chutes, e repicavam extremamente bem, e foram incorporadas em muitos jogos. Não está clara como a bexiga era inflada, mas há evidências, daquele tempo, de bombas simples sendo usadas para inserir o ar na ‘bola’. Se o repique da bola era inteiramente imprevisível por causa da forma da bexiga, então isso era somado à diversão. O problema era que a ferocidade, e a violência destes jogos da plebe, frequentemente, provocavam o rompimento da bola. Então, as bolas começaram a ser revestidas de couro para serem mais resistentes.

A bola mais antiga

A bola de futebol mais antigaA bola de futebol de couro mais antiga existente, provavelmente, tem 450 anos e foi encontrada escondida nas vigas em cima da cama da Rainha Maria dos Escoceses, no Castelo de Stirling, na Escócia, bem recentemente, em 1999. ( Foto ao lado, do Museu e Galeria de Artes Stirling Smith).

A bola foi confeccionada da bexiga de porco com um revestimento de couro costurado em sua volta. A Rainha era conhecida por lançar a bola de sua sacada no começo das partidas entre os empregados reais e os soldados.

As partidas geralmente eram lutas sem regras entre dezenas de homens e, provavelmente, tinham mais relação com o rugby moderno que com o futebol.

Ninguém sabe ao certo como a bola ficou agarrada entre as vigas, mas há uma forte possibilidade dela ter parado ali por um chute através da janela aberta. Um escrito no dialeto escocês, em 2001, por James Robertson, conta essa história como ele imagina que aconteceu:
"A bola do Castelo Stirling que a Rainha Maria dos Escoceses supostamente lançava de seu quarto para o pátio embaixo, para começar o jogo de futebol entre as tropas ali posicionadas."

A BOLA NAS COPAS
Bola da Copa de 1930
1930, no Uruguai

Bola da Copa de 1934
1934, na Itália

Bola da Copa de 1938
1938, na França

Bola da Copa de 1950
1950, no Brasil

Bola da Copa de 1954
1954, na Suíça

Bola da Copa de 1958
1958, na Suécia

Confira todas as bolas utilizadas na Copa do Mundo
A fabricação da bola

Nos anos 1920, os fabricantes começaram a usar um tecido forte para cobrir o couro, para impedir que ele esticasse e perdesse a forma. E melhoraram a resistência à água, revestindo o couro com materiais resistentes a água ou tintas sintéticas. Até os anos 30, todos os gomos de couro tinham de ser cortados à mão, então, dependendo da habilidade do cortador, sempre havia margem para erro. Já nos anos 30, entretanto, os fabricantes desenvolveram máquinas com facas moldadas, o que acelerou o processo de corte e gerou maior uniformidade. Os gomos também eram planos e cada costureiro tinha que fazer os próprios buracos de costura com um furador.

A bola moderna

Quase toda bola de futebol fabricada hoje em dia é feita de couro sintético porque sua espessura varia muito menos do que a do couro natural. Normalmente, uma bola consiste de várias camadas de material que são revestidas com uma cobertura à prova d’água. As camadas são impressas e cortadas em gomos de diversas formas, normalmente pentágonos ou hexágonos, e também retângulos ou outras formas, que são costuradas juntas para formar a bola.

Fabricantes

À medida que a popularidade do jogo cresceu drasticamente e globalmente, a natureza da produção também começou a mudar. Firmas menores descobriram que não conseguiam mais competir com o preço de companhias grandes, que eram capazes de se aproveitar do mercado global para fornecer material e mão-de-obra.

Agora, mais de 40 milhões de bolas de futebol são produzidas por ano. É difícil estimar o número atual de fabricantes de bolas de futebol no mundo, mas basta dizer que cerca de 90 fabricantes são licenciados FIFA. Isto inclui: as maiores marcas espalhadas pelo mundo que somam três quartos do mercado; companhias um pouco menores que ainda fazem parte do mercado global; aquelas que são bem conhecidas e vendem majoritariamente nos seus próprios países; até os pequenos produtores que produzem apenas algumas centenas de bolas por ano.

Obviamente, muitas das companhias conhecidas produzem roupas e calçados esportivos também, e desse modo, as bolas são apenas um de seus produtos.

A essência toda do futebol está em seu implemento mais simples – a bola. E tem de ser um tipo especial de bola, também, com a habilidade de voar pelo ar quando direcionada pelo jogador e – o mais importante – repicar de forma previsível. Foi, de fato, somente com o desenvolvimento de uma bola que repicava e a pura satisfação em chutá-la de jeitos variados, que fez do futebol o jogo mais popular e de maior sucesso no mundo.


Sidney barbosa da SilvaPesquisas de Sidney Barbosa da Silva
Fonte: footballs.fifa.com e www.campeoesdofutebol.com.br
Página adicionada em 03 de Janeiro de 2013 - revisada em 14/Novembro/2016.

 

Pesquisa personalizada

 

Livros Digitais Campeões do Futebol

Ir ao Topo